BVMF: Vendas Setembro 2014 – BGIP4

banese-utopiaEu havia comentado no artigo sobre os dividendos recebidos deste mês que estava insatisfeito com Banco Banese, bem eu resolvi antecipar essa ação de venda e saí da empresa completamente.

O motivo de ter saído da empresa foi que ela vinha apresentando resultados pífios os resultados praticamente caíram pela metade. O lucro caiu de 88 milhões para 47 milhões e a tendência é que caia mais. A margem bancária também despencou e chegou abaixo de 10% enfim como acredito que existe outras opções melhores nesse setor financeiro decide por vender minhas ações.

Eu acho que em toda a minha carteira eu só saí de 3 empresas: Eternit, Marcopolo e agora o Banese.

Venda de setembro de 2014 na bolsa de São Paulo
Empresa Código Qtde comprada
Banco Estado Sergipe SA  BGIP4 145

Já atualizei a minha carteira com essa venda.

O que eu considero para sair de uma empresa

Acho que ainda não falei sobre esse assunto no blog, então vale abrir um parênteses para explicar o que devemos considerar para sair de uma empresa.

Primeiro eu acho que cada um deve definir tanto os parâmetros para entrar numa empresa, quanto os parâmetros para sair de uma empresa, você deve definir esses parâmetros antes de se tornar sócio, anote essas informações em algum lugar para referencia futura e quando for acompanhar os balanços você faz uma revisão com os seus parâmetros.

Use os indicadores que lhe chamariam a atenção para alguma situação complicada, por exemplo um crescimento na divida da empresa, uma queda ao longo dos anos no Fluxo de Caixa Livre, estagnação do crescimento dos lucros e receitas (caso seja uma empresa de crescimento e não de dividendos), diluição excessiva dos acionistas, queda nas margens, etc.

Os indicadores de uma empresa apesar de serem importantes não se deve basear apenas neles. Tanto para entrar, quanto para sair da empresa é importante fazer uma analise de todo o conjunto como a administração o momento da economia no cenário nacional e internacional.

As vezes uma empresa pode ter uma queda nos indicadores e você ainda pode achar ela atraente, talvez por acreditar na política de investimento da empresa ou na administração, a empresa pode até estar passando por dificuldades mas você vê que a administração está tentando contornar as coisas. Vamos a um exemplo pratico:

A Santos Brasil está numa situação muito parecida com a Banese. A Santos vem enfrentando dificuldades grandes com concorrência e regulamentações do governo, soma-se a isso a queda no cenário econômico, pronto temos um prato cheio para dificuldades.

Mas mesmo apesar de todos os problema eu ainda não vejo motivos para sair da empresa, não de imediato, a administração vem tomando medidas para tentar contornar esses problemas, vem fazendo investimentos, tentando diversificar a oferta de produtos, enfim você vê que a empresa está se mexendo, quanto a Banese, talvez até por ter uma forte dependência estatal, não tem feito nada de muito concreto para tentar contornar a situação que não está nada fácil e com isso o banco vem perdendo competitividade no próprio terreno e isso vem a se refletir nos resultados.

Conclusão

Muitas vezes o que o pessoal se sente mais confortável definindo alguma forma numérica para saber se a empresa está boa ou ruim, e subvaloriza o fator governança. Eu prefiro focar mais na analise da governança, primordial pra mim é ver se a empresa possui uma boa governança os número servem apenas como complemento.

Deixe o seu comentário: