BVMF: Vendas Fevereiro 2015 – PRBC4

parana bancoO ano passado tinha ficado com uma pendência na minha carteira do Brasil, estava indeciso sobre manter posição no Parana Banco, como já tinha incluído a Porto Seguro e o Bradesco ambos vendem seguro e como o principal produto do PRBC4 é seguro eu fiquei preocupado em ficar exposto demais no setor.

Outro fator que me preocupou foi a piora nos fundamentos e o baixo crescimento, inclusive falei sobre isso nesse post, enquanto que os outros bancos grandes estavam nadando de braçada o Parana vinha tendo um resultado pífio.

Diante dessas preocupações resolvi coloca-la em quarentena e esse ano iria acompanhar os balanços de perto para decidir se ficaria ou sairia do banco.

A gota d`agua veio em Dezembro quando o banco anuncio a compra da Cardinal uma seguradora da Colombia, na teoria era para ser uma boa noticia pois significa a expansão da empresa para o mercado internacional, acontece que eu vinha acompanhando o PRBC de perto e ele vem perdendo produtividade ano a ano e fazer uma aquisição com o banco enfrentando problemas de produtividade não parecia uma decisão muito sabia, veja abaixo o resultado dos últimos três anos o lucro vem encolhendo apesar da RIF vir subindo:

  • Lucro 2012 – 197
  • Lucro 2013 – 133
  • Lucro 2014 – 129

Nesse período a margem bancaria saiu de 33% para 15% demonstrando claramente a perda de produtividade.

Resolvi dar uma olhada no balanço da Cardinal, a seguradora colombiana e olha que surpresa bacana:

cardinalEm 2013 prejuízo de mais de meio bilhão em 575 e em 2014 bateu na casa dos 134 enfim a Cardinal tem mais de 3 anos no prejuízo, para o Paraná Banco que já está com dificuldades de manter o controle dos gastos e a eficiência no próprio quintal vai ser um baita desafio navegar por terras Colombianas.

Venda realizada em 9 de Fevereiro de 2015

Venda de fevereiro de 2015 na bolsa de São Paulo
Empresa Código Qtde
PARANA BANCO  PRBC4  500

Já atualizei a minha carteira com essa venda.

Estava preocupado achando que deveria esperar mais um pouco, pensei comigo “talvez o próximo balanço venha melhor” mas os números indicavam que a coisa iria para o mesmo caminho e não via nenhuma medida mais energética da administração para melhorar as margens, enfim mesmo acreditando que carteira de ações é igual sabão quanto mais você mexe mais diminui resolvi boletar a empresa e retira-la da carteira.

Vendi ela antes do balanço com uma dor no coração, mas  logo me alegrei depois que vi o resultado bem abaixo do ano passado só fortalecendo a minha visão sobre o case da empresa. Mesmo não tendo mais na carteira sigo acompanhando ela para ver o desfecho com a aquisição da Cardinal.

10 thoughts on “BVMF: Vendas Fevereiro 2015 – PRBC4

    • 2 March 2015 at 21:49
      Permalink

      Ola D.I.

      Valeu.

      bola pra frente que atras vem gente rsrsrs

      Reply
  • 2 March 2015 at 16:12
    Permalink

    Dois pontos:

    1) Você deve olhar o LL sem não-recorrentes. O PRBC teve um não-recorrente devido a pagamento de impostos via REFIS. Levando em conta o LL recorrente, houve um aumento de 15% (de 131M para 150M), o que é muito bom para um ambiente desafiador, como foi o de 2014;

    2) Em relação à aquisição da Cardinal na Colômbia (país que cresce mais do que o Brasil e principalmente puxado pelos investimento de infraestrutura, que precisam de garantias sólidas para a sua execução) é uma incursão do banco no mercado externo de seguro-garantia, em que o Paraná Banco tem larga expertise. A expectativa é de que, com a nova gestão, haja uma melhora nos números da Cardinal. Agora, realmente, é preciso ficar atento para saber se isso vai ocorrer mesmo.

    De qualquer forma, a administração da carteira é algo bem pessoal. Se você está mais tranquilo agora, é isso que lhe importa.

    Abraço

    Reply
    • 2 March 2015 at 21:48
      Permalink

      Olá Eduardo,

      Eu estava ciente desse não recorrente, se não me engano ano passado e retrasado eles também alegaram não recorrentes negativo e no ano anterior também um baita não recorrente positivo, são a meu ver não recorrentes que tem se tornados recorrentes, mas tecnicamente o REFIS não pode ser considerado não recorrente visto que era um imposto que deveria ter sido pago e não foi, na verdade eles barrigaram o imposto pra frente até que veio o REFIS.

      Sobre a Cardinal existe uma grande expectativa da diretoria sobre ela, mas eu sinceramente quando olhei o balanço e vi o resultado dela fiquei mais preocupado do que empolgado, pra quem ficou aconselho ir acompanhando isso bem de perto.

      Mas não foi só esses fatores que me preocupou como eu disse a exposição em excesso no mercado de seguros no brasil acabou pesando também na decisão.

      Não acho que com tudo isso a empresa tenha ficado ruim, mas é que tem outras opções melhores do que ela no mercado.

      Reply
  • 1 March 2015 at 19:07
    Permalink

    VD,

    O meu amigo II já falou tudo. Todo ano quebra pelo menos um banco pequeno no Brasil, logo, ou você tem na carteira o Bradesco, ou o Itaú ou ambos.

    Abraços.

    Reply
    • 2 March 2015 at 21:36
      Permalink

      Olá I.L

      O problema de banco que é muito difícil analisar os balanços o fluxo de caixa não serve pra nada e é muito fácil mascarar os balanços e difícil de identificar esses rolos

      como você disse quase todo ano tem um rolo com um banco pequeno

      Reply
    • 2 March 2015 at 21:26
      Permalink

      Olá I.I.

      cada vez mais concordo com essa afirmação se os grandes estão indo melhores do que os pequenos pra que se estressar com os pequenos.

      Reply
    • 2 March 2015 at 21:24
      Permalink

      Grande Uó

      como diz o ditado: Antes tarde do que nunca.

      Reply

Deixe o seu comentário: