BVMF: Vendas Outubro 2014 – CCRO3 – STBP11

ponte historiaSeguindo a reestruturação na minha carteira da BVMF eu efetuei mais duas vendas esse mês, foi retirado da minha carteira a CCR e a Santos Brasil. Mês passado já tinha liquidado a Banese. Eu vejo um cenário econômico para o Brasil, pelo menos no curto prazo, muito complicado talvez o governo resolva tomar algumas medidas para amenizar a situação mas não da pra contar que ele irá acertar sobre isso. Esse cenário ruim ao menos é bom para conseguirmos identificar as boas empresas das ruins. Eu por exemplo quando analiso empresas gosto de pegar como elas se saíram nos momentos de crise, afinal quando tudo está indo bem é fácil fazer dinheiro.

O que eu vejo no curto prazo é que o governo continuará a intervir na economia, principalmente tomando medidas para tentar controlar a inflação. Minha preferencia é por um mercado mais auto regulável, mas enfim essas são as limitações do país no momento então temos que aceitar. Outro fato que me preocupa é que não vejo no discurso politico nada muito enfático mostrando uma tendência para investimentos em infra estrutura. Essas duas razoes somados aos resultados das empresas foram os motivos por tira-las da minha carteira.

O que considerei para sair da CCR

  • Risco de não renovação das concessões: o governo vem sinalizado que não tem muita intenção de renovar as concessões da empresa, vide concessão da Ponte e Dutra. Ok a ponte é 3% da receita da empresa já a Dutra tem uma fatia considerável nos resultados da empresa, para ter ideia o que sustenta a empresa é AutoBan, Dutra e ViaOeste
    receita ccr
  • Reajustes abaixo da inflação: a ideia do governo é sempre diminuir as tarifas de pedágios e exigir mais investimentos das empresas, uma combinação que a longo prazo não se sustenta, e para mim que pretendo ser um investidor de longo prazo isso acaba sendo um ponto muito negativo. Basicamente o governo quer que a CCR diminua a receita e aumente os gastos. Essa conta uma hora não vai fechar. Eu tenho reparado que em todas as empresas de concessões essa tem sido a regra, vide elétricas e distribuidoras de agua.
  • Endividamento: a empresa está perdendo margem por conta do grande endividamento o indicador de gestão da dívida já bate em 7x o valor do patrimônio. É uma empresa com receita garantida e sempre esteve endividada e sabe trabalhar com isso, dado essas primícias talvez até se o endividamento atual fosse definitivo eu aceitaria, mas acontece que pelas perspectivas que tenho visto o endividamento tende a crescer, visto que haverá uma pressão de mais investimentos por parte da empresa.

O que considerei para sair da Santos Brasil

  • Baixos investimentos em infra estrutura: eu vejo que o país precisa de investimentos urgentes em infra estrutura e uma dessas medidas que permitira isso seria a lei dos portos que ao invés de melhorar conseguiu a façanha de piorar a situação. Da parte do governo vemos que ele investiu menos da metade do prometido para o setor. E não vejo perspectivas de melhoras nisso.
  • Má governança: eu falo sempre aqui que uma empresa deve possuir boa governança a melhor maneira de acompanharmos isso é anotarmos as metas que eles levantam e checar se estão sendo cumpridas, a empresa fez promessas ao longo de 2013 para reduzir os custos operacionais e não conseguiu isso ao longo de 2014. Outro fator que pesou nessa avaliação foi o fato de terem comprado o elefante branco que é o porto de Imbituba a empresa tem pago taxa de movimentação mínima por não conseguir contratos para movimentar nem mesmo o mínimo, foi um investimento que não agregou valor ao caixa da empresa.
  • Queda nos lucros e perda expressiva de Market Share: quando eu vendi não tinha saído o resultado dessa trimestre 3T14 mas foi bom ter me livrado dela antes senão iria me dar mais raiva ainda rsrsrs enfim a empresa vem caindo os lucros desde 2012 ano passado eles perderam um grande cliente do Leste Europeu agora nesse trimestre foi a perda do outro cliente importante na Asia. Com isso tudo o market share da empresa caiu de 52% para 32% a empresa não vem conseguindo se sair bem na crise e tem enfrentados graves dificuldades com a concorrência.
Venda de outubro de 2014 na bolsa de São Paulo
Empresa Código Qtde comprada
Santos Brasil Participações SA  STBP11   200
CCR SA CCRO3 300

Já atualizei a minha carteira com essa venda.

As analises acima representam apenas a minha opinião e não quer dizer que as empresas se tornaram péssimas, apenas que não vejo nada mais atrativo nelas, talvez para você essas empresas ainda sejam boas, talvez você veja algumas perspectivas melhores que eu, enfim cada investidor interpreta de uma maneira. O importante acima de tudo é buscarmos um quadro de investimento que nos deixe confortáveis e confiantes.

6 thoughts on “BVMF: Vendas Outubro 2014 – CCRO3 – STBP11

  • 1 November 2014 at 01:26
    Permalink

    Vejo que vc é fera no assunto investimentos.
    Herdei uma grana boa e gostaria de saber sua forma de investir esse dinheiro.
    São 4MM , o que me deixa inseguro de como investir.
    Gostaria de poder aumentar esse dinheiro e ainda viver de renda.
    Está tudo em RF, mas vejo que não é bom negócio ficar assim para o longo prazo.
    Não sei se entro tudo de uma vez ou aos poucos. Ví alguns FIIs que vc possui, mas não sei se coloco em ações também.
    Poderia me ajudar pensando em fazer como se vc fosse investir? abração e muito mais sucesso para vc.!

    Reply
    • 1 November 2014 at 06:45
      Permalink

      Olá tcp,

      Aprendemos junto eu só aprendo o que vocês me perguntam. Mas então eu não posso fazer nenhum sugestão de investimento então vou colocar o que eu faria em uma situação parecida.

      No curto prazo a RF mantém o seu principal, mas no longo prazo a inflação tende a comer o principal, então no curto prazo melhor opção seria manter na RF e ir conhecendo sobre o mercado, estudando mais sobre a analise de empresas. As pessoas costumam perder 2 horas escolhendo um tênis para comprar no shopping mas não perdem 40 minutos olhando um balanço trimestral. A vantagem de se investir em empresas boas que os lucros delas acompanham a inflação real e não apenas um índice inflacionário que pode ser maquiado pelo governo.

      Entrar com o valor todo vai exigir um conhecimento grande de precificação, quando se está aportando aos poucos o preço de compra não importa, você se tem ao luxo de cometer erros, agora quando se faz aportes esporádicos o preço faz diferença e você não pode cometer erros.

      Partindo daí eu tiraria no máximo 10% sendo o ideal 5% (se não tiver muita experiência com o mercado) e desse percentual colocaria meio a meio entre FIIs e Ações, isso para ir aprendendo do mercado, ir conhecendo como funciona a analise de empresas, ninguém nuca vai acertar de primeira, se acertar de primeira aí é que deve se preocupar rsrs então é importante entrar com um valor baixo no começo vai fazendo aportes mensais de forma que depois de 1 ano você tenha investido os 5% nas duas categorias.

      Depois que for pegando mais experiência você vai aumentando os aportes gradativamente. Lembrando de nunca se esquecer da palavrinha magica: Diversificação.

      Reply
    • 1 November 2014 at 00:12
      Permalink

      infelizmente sim ;(

      Reply
  • 31 October 2014 at 10:35
    Permalink

    Primeiro parabéns pelo blog vc tem me ajudado muito nos investimentos.
    Tenho ações da Santos e não entendi o que você disse sobre taxa mínima, o que seria isso?

    Reply
    • 1 November 2014 at 00:10
      Permalink

      Olá Carlos

      Basicamente a empresa tem q movimentar uma quantidade mínima anual de contaminar pelo arrendamento do porto de Imbituba, isso é estipulado em contrato, a Santos Brasil não tem conseguido alcançar essa movimentação mínima, com isso acaba pagando uma taxa de movimentação mínima.

      Reply

Deixe o seu comentário: