Como analisar a dívida de uma empresa

DebtEu gosto de olhar 3 indicadores para analisar o endividamento de uma empresa na Bolsa:

  • Divida sobre o Patrimônio
  • Divida sobre o EBITDA
  • Índice Cobertura de Juros

Eu aplico o primeiro na primeira fase quando estou filtrando as empresas, os outros dois eu utilizo quando vou analisar em mais detalhes as empresa que escolhi para comprar, também vou acompanhando eles com o tempo para ver se mantiveram o padrão.

Divida sobre o patrimônio

A formula é bem simples pega-se a:

Dívida Bruta / Patrimônio Liquido.

Quanto menor esse número melhor, você pode usar como parâmetro empresas com índice abaixo de 0,5 ou seja 50% do patrimônio em dívidas, mas não é uma regra existe setores que possuem receita garantida o que permite as empresas se alavancarem um pouco mais, outra coisa a observar é que empresas tem empresas que não precisam de um grande patrimônio para funcionar como as de consumo que também acaba levantando um pouco o índice.

Se você me acompanha a mais tempo no Blog sabe que primeiro eu gosto de selecionar um setor, conforme fiz nesse ultimo artigo, depois eu pego os dados de cada empresa, nessa hora eu também analiso o quando do patrimônio equivale a divida e gosto de comparar com as outras empresas do setor, pra mim não tem regra é questão de bom senso.

Dívida sobre o EBITDA

A formula é:

Divida liquida / EBITDA (12 meses)

Aqui não tem regra o importante é acompanhar os planos que a empresa traçou, você pode ler nos balanços ou perguntar ao RI qual o nível de endividamento do EBITDA que a empresa tem como aceitável, cada empresa tem um planejamento para os investimentos e tem níveis de endividamentos estipulados. É muito importante guardar esse feedback deles para ir acompanhando com o tempo, se a direção não cumprir com o que prometeu é um bom motivo pra você pular fora do barco.

Índice Cobertura de Juros

A formula é:

Resultado Operacional (EBIT) / Despesa de juros

Cobertura de Juros é o índice que determina a facilidade com que uma empresa pode pagar as despesas com juros sobre a dívida pendente. Ben Graham determina o mínimo de 5 na cobertura de juros. Se a Cobertura de Juros é inferior a 2 a empresa está sobrecarregada por dívidas, mostra que a empresa está tendo dificuldade na geração de caixa para pagar seus compromissos, isso pode arrastar a empresa para um crescimento lento, criando assim uma bole de neve.

A relação abaixo de 1 significa que a empresa está tendo problemas de geração de fluxo de caixa suficientes para pagar suas despesas com juros, quando uma empresa mal consegue cobrir os seus custos de juros pode facilmente ir a falência.

Esse indicador pra mim é muito importante pois com ele conseguimos medir se a empresa está gerando caixa suficiente para bancar suas dívidas, é comum vermos por aí o pessoal comentar “nossa a dívida dessa empresa está alta” ou coisas do tipo, olhar só o montante da dívida não quer dizer absolutamente nada tem é que saber se essa dívida pode ser paga com facilidade pela geração de caixa da empresa e esse indicador nos ajuda a entender isso.

Exemplo pratico

Depois da teoria vamos ver como pegar esses dados na pratica. Primeiro precisamos levantar os dados as informações que precisamos todas podem ser pegas no balanço das empresas:

Vou pegar duas empresas a primeira é a Lojas Americanas e segunda a Petrobras, vou pegar o balanço de 2013 porque o de 2014 ainda não fechou.

Lojas americanas

  • EBITDA – 1.846
  • Depreciação e amortização – 273
  • EBIT – 1.573
  • Despesas juros – 163
  • Dívida bruta – 7.693
  • Dívida líquida – 1.960
  • Patrimônio liquido – 1.488

Com os dados em mãos vamos fazer os cálculos e acharmos os indicadores:

Índices de endividamento
Indicador Valor
Dívida sobre patrimônio 5,17
Dívida sobre o EBITDA 1,06
Índice cobertura de juros 9,65

Como podemos observar no quadro acima, apesar de a empresa possuir num primeiro momento um índice de Div/PL superior ao máximo recomendado pelo mercado que é 0,50 o seu ICR (Índice Cobertura de Juros) está num nível saudável pela sua geração de caixa. Se você considerasse apenas um indicador iria acabar descartando uma empresa que aparentemente pareceria ruim mas não o é, não estou dizendo que a LAME é uma boa empresa porque precisamos de analisar outros indicadores para saber se é uma boa empresa, mas para efeito didático ela basta.

Petrobras

  • EBITDA – 62.967
  • Depreciação e amortização – 28.467
  • EBIT – 34.500
  • Despesas juros – 18.613
  • Dívida bruta – 267.820
  • Dívida líquida – 221.549
  • Patrimônio liquido – 349.334

Com os dados em mãos vamos fazer os cálculos e acharmos os indicadores:

Índices de endividamento
Indicador Valor
Dívida sobre patrimônio 0,77
Dívida sobre o EBITDA 3,52
Índice cobertura de juros 1,85

Petrobras possui uma relação de dívida por patrimônio até relativamente aceitável, porém quando pegamos o Índice Cobertura de Juros a coisa complica, conforme disse Ben Graham empresas com índices abaixo de 2 enfrentarão sérios problemas para manter o crescimento, isso porque os juros passam a corroer boa parte dos lucros. O endividamento é o grande calcanhar de Aquiles para a Petrobras, pior de tudo que esse crescimento das dívidas pode ser previsto bem antes de acontecer, pois a empresa tem sérios problemas como eu relatei neste post esse endividamento nada mais é que um dos efeitos colaterais do que citei no post anterior.

Uma empresa cíclica com um Índice abaixo de 2 é muito ruim, pior de tudo é saber que estamos analisando dados de 2013 imagina se pegarmos os dados mais recentes de 2014 a coisa certamente vai estar bem pior. Vale ressaltar aquele investidor que acompanha o endividamento da empresa de perto não seria pego de surpresa com o que o mercado vem fazendo nos dias atuais com a Petrobras.

Conclusão

O que eu sempre falo por aqui em combinar os indicadores, não use nada isoladamente, esses dois exemplos mostram isso de forma clássica, olhando um indicador isoladamente entenderíamos que o nível de endividamento a Petrobras estaria mais confortável que o da Lojas Americanas, mas quando combinamos os indicadores a coisa muda completamente, a LAME está num cenário muito mais confortável que a PETR.

A empresa pode ter uma dívida grande desde que ela possua um fluxo de caixa forte, a empresa pode pegar empréstimos para alavancar seu crescimento, mas esses investimentos precisam gerar caixa no futuro, senão os juros começam a comer o lucro por isso é muito importante acompanharmos o Índice Cobertura de Juros.

Questione o RI da empresa sobre os planos de endividamento e investimentos e acompanhe isso de perto, geralmente os primeiros sinais de problemas numa empresa podem ser constatados no acompanhamento do seu endividamento, por isso olhe essa informação com bastante carinho e evita surpresas.

Gostou do artigo? Então se inscreva ao lado para receber as atualizações via e-mail.

27 thoughts on “Como analisar a dívida de uma empresa

  • 14 September 2016 at 18:35
    Permalink

    Ola viver de dividendos, voce poderia fazer um post igual a este sobre divida mas dos REITs
    abraço

    Reply
    • 14 September 2016 at 19:04
      Permalink

      olá Guilherme

      seria até interessante porque divida de REIT é diferente de ações e bem mais complexa de se analisar até porque muitos REITs crescem atravez de financiamento então se não soubermos medir isso certo já era vai chorar depois

      só olhe os REITs que afundaram em 2008 foram todos que estavam com dividas complicadas

      Reply
  • 8 July 2016 at 16:20
    Permalink

    Amigo, só uma questão (sei que o post é meio antigo mas…) o você considera como dívida bruta e líquida?

    Reply
    • 8 July 2016 at 16:32
      Permalink

      Olá Fabio

      Divida bruta – divida total da empresa
      divida liquida – divida da empresa – o que ela tem de dinheiro em caixa

      Reply
  • 13 April 2016 at 01:35
    Permalink

    Obrigado pelo retorno VD.

    Se vc se interessar, pode ficar de sugestão para um post futuro.

    Eu particularmente gosto de olhar o Loan to Value (LTV)

    Ele mede quantos % a dívida se refere em comparação ao portfólio a preço de mercado dos imóveis.

    Significa que num cenário extremo em que a dívida fique num nível insustentável, quanto que a empresa teria que sacrificar para pagar tudo.

    A General Growth Propreties (GGP) quanto estava prestes a declarar falência, a dívida já estava em quase 100% do valor dos imóveis.

    REITs com LTV de quase 100% não me agradam. Procuro algo que fique no máximo em torno de 40% a 50%.

    Abraços.

    Reply
    • 13 April 2016 at 02:09
      Permalink

      sim é um indicador a se somar, mas o ideal seria analisar a divida pelo menos num primeiro momento a geração de caixa do REIT daí seria algo mais ligado ao FFO

      esses indicadores ligados ao NAV vc fica sujeito a uma opinião subjetiva do avaliador do imóvel, uma coisa é você vender porque está querendo buscar um lucro outra é pra pagar divida, certamente teria que se desfazer do patrimônio a preços bem mais baixos que o usual

      mas como disse o ideal é combinar o máximo de indicador que lhe deixem mais confortáveis

      Reply
    • 13 April 2016 at 02:11
      Permalink

      se vc chegar a vender o seu patrimônio pra pagar divida é porque a coisa já está muito ruim por isso o ideal é focar no primeiro momento na geração de caixa, se o REIT não consegue gerar caixa pra pagar o endividamento ou os juros correm parte das distribuições então vc tem que ficar atento

      mas nao é só isso a qualidade dos inquilinos é muito importante uma vacância, ou uma inadimplência prolongada pode ser catastrófica dependendo da alavancagem do REIT

      então divida em reit pode ser um pouco mais complexo que em stocks

      Reply
  • 12 April 2016 at 18:41
    Permalink

    Prezado VD, boa tarde.

    Muito interessante este artigo.

    Se possível, gostaria que vc comentasse também como faz para analisar a dívida de um REIT.

    Obrigado

    Reply
    • 13 April 2016 at 01:23
      Permalink

      Olá Carlos

      Obrigado.

      Estamos fazendo estudos aqui no blog sobre REIT ainda. Pegando alguns aspectos mais gerais depois vamos nos aprofundar em aspectos específicos.

      Reply
  • 4 March 2016 at 15:39
    Permalink

    Viver de Dividendos, só uma dúvida: Porque EBIT e não EBITDA? Considerando que Depreciação e Amortização são despesas sem efeito caixa, porque você não considera?

    Reply
    • 4 March 2016 at 19:42
      Permalink

      excelente pergunta

      em alguns casos muito isolados vc pode usar o ebitda sem problemas, empresas por exemplo que tenham forte ligações com imóveis você pode considerar o ebitda ou que tenha um forte intangível como softwares ou que tenha vindo de uma grande aquisição, mas de modo geral você não pode desconsiderar as depreciações porque a empresa pode precisar hora ou outra de repor maquinarios e isso vai afetar o seu lucro o que consequentemente vai afetar seu poder de pagamento de juros, portanto vc usando o ebitda pode estar mascarando os resultados e quando essa despesa chegar vc vai ter uma surpresas nada agradável.

      EBITDA nao faz efeito caixa mas faz parte dos gastos operacionais da empresa, digamos que vc tem uma industria que comprou uma maquina de 1 bilhão essa maquina vai durar 10 anos ali, depois daquele período vc precisará de trocar esse bem por um novo, você terá que despender dinheiro pra isso, aquela depreciação faz parte dos seus gastos operacionais

      como disse vc pode analisar caso a caso se uma empresa tem uma depreciação que ela não vai precisar de incorrer numa reposição de maquinario, como o exemplo dos imóveis que citei acima, ai sim vc pode considerar EBITDA todo caso seria melhor considerar o EBIT

      Reply
      • 13 April 2016 at 04:46
        Permalink

        Entendi, realmente faz mais sentido analisando deste ponto usar o EBIT. Muito obrigado pela resposta! Abraço!

        Reply
        • 13 April 2016 at 05:18
          Permalink

          EBIT e FFO nao são a mesma coisa

          Reply
        • 13 April 2016 at 05:22
          Permalink

          kkkk esquece essa minha resposta confundi com a pergunta do Carlos que veio logo antes do seu comentário

          Reply
  • 22 February 2016 at 16:21
    Permalink

    Olá,
    gostaria de saber se encontrei o dado certo na empresa Natura para calcular o Indice de Despesas de Juros, seria esse valor? (256.897). Encontrei no balanço da empresa em: Pagamento de juros sobre empréstimos e financiamentos consolidado (256.897). Se for ele, é correto que EBIT: 1.257.000 o cálculo seria de 4,89 para o índice?
    Obrigado.

    Reply
    • 22 February 2016 at 20:04
      Permalink

      olá marcelo tem uma rubrica na parte de fluxo de caixa operacional olhe lá que vc vai encontrar a despesa com juros.

      Reply
      • 4 April 2016 at 19:45
        Permalink

        viverdedividendos,

        na bastter tem uma discussão enorme sobre esse assunto e estou meio perdido. se optou por utilizar “juros” do VALOR ADICIONADO.

        Ainda não compreendo muito bem esse valor adicionado, mas em algumas empresas está dando uma diferença muito grande entre esses valores, tipo na CCRO, segue:

        FC OPERACIONAL

        6.01.01.10 Juros e Variação Monetária s/Debêntures, Notas Promis, Empréstimos, Financiamento e Arrend.Mercantil VALOR = 1.518.673

        FC FINANCIAMNETO

        6.03.06 Empréstimos, Financiamentos, Debêntures e Arrend.Mercantil (Pagamentos de Juros) VALOR = -1.135.347

        DVA

        7.08.03.01 Juros VALOR = 3.099.921

        Qual sua opinião?

        Reply
        • 4 April 2016 at 20:09
          Permalink

          Olá Julio

          Eu participei por alto desse debate la na bastter, mas é o seguinte, nem toda empresa você vai conseguir calcula o ICJ pelo balanço porque isso depende de como a empresa publica no release dela, até mesmo nas empresas americanas você vai encontrar algumas que não vai trazer o quanto pagaram de juros no balanço, por isso que no próprio morningstar não traz esse calculo para algumas empresas.

          O bastter optou quando não tiver no lugar correto por usar outra rubrica que pra mim não fica muito legal, mas o site é dele então ele tem o direito de colocar :)

          eu acharia que se tem os juros no balanço calcula, se não tem, não calcula

          simples assim

          para essas que não tem o investidor questiona no RI quanto a empresa pagou de juros da divida.

          porque tem alguns problemas no balanço? tem algumas empresas que lançam o pagamento do principal junto com a rubrica de juros, então vc precisa de pegar apenas o valor pago de juros, pegue o balanço da LAME no ano que eu coloquei no artigo e veja onde está isso no balanço tente seguir o que vier nessa rubrica que é o correto.

          as que nao tiverem lá vc terá que questionar pro RI da empresa

          Reply
    • 4 April 2016 at 16:27
      Permalink

      marcelo, seria esse:

      6.01.01.08 Juros e variação cambial sobre empréstimos e financiamentos e outros passivos 1.199.217

      Reply
  • 21 January 2016 at 18:21
    Permalink

    seus posts são excelentes.

    Reply
    • 21 January 2016 at 19:26
      Permalink

      valeu wesley

      Reply
  • 17 November 2015 at 20:13
    Permalink

    Muito bom. Obrigado por compartilhar.

    Reply
    • 19 November 2015 at 01:20
      Permalink

      Valeu pela força Rofel

      Reply
  • 14 September 2015 at 23:01
    Permalink

    Bacana,

    Vc sabe me dizer o pq o morning star as vezes não fornece o dado debt/equity ou mesmo o interest coverage?
    Fica um — no lugar da informação.

    Obrigado Novamente.

    Reply
    • 15 September 2015 at 01:12
      Permalink

      não sei lhe dizer mas acredito que num seria pq a empresa não possui divida

      Reply
  • 14 September 2015 at 16:06
    Permalink

    Olá VDD,

    Onde vc ver o Indice de Cobertura de juros das empresas Brasileiras?

    Reply
    • 14 September 2015 at 19:41
      Permalink

      Olá Investidor

      geralmente a maioria das minha ações tem ADR aí consulto elas na morning star para as outras eu calculo na unha mas só o anual.

      agora acho que no site da microsoft money ou bloomberg tem esses dados.

      Reply

Deixe o seu comentário: