Meu negócio #2: O que eu faço e como comprei meus concorrentes

comprar seus concorrentesMostro um pouco da minha estratégia de crescimento na minha empresa, conto um pouco da minha história e de como comprei um dos meus concorrentes a uns 6 anos atrás e agora nessa nova empreitada onde estou negociando a compra de mais uma empresa só que dessa vez com o dobro de tamanho da minha. Os desafios e o processo por traz das negociações das aquisições.

Além disso falo sobre como funciona o mercado de desenvolvimento de software, a dinâmica e como se portar para preparar sua empresa para o crescimento, buscando produtividade e redução de custos. Se ainda não conferiu o vídeo passado, mostrei como funciona o mercado de software, confira aqui antes de prosseguir pra esse.

Siga-me no Instagram para obter atualizações pessoais: @viverdedividendos

instagram

Falo sobre tudo isso e muito mais… Confira no vídeo abaixo:

Receber novidades por e-mail

Gostou do blog? Então se inscreva no campo abaixo para receber as atualizações via e-mail e curta nossa pagina no Facebook.

15 thoughts on “Meu negócio #2: O que eu faço e como comprei meus concorrentes

  • 20 August 2016 at 19:06
    Permalink

    Boas,

    Aff video longo!!!

    kkkkk brincadeira. Assisti e assisto todos seus videos, não importa quantos minutos tenha.

    Muito boa sua ideia de aquisição dos concorrentes, tem que ir pra cima deles mesmo!!!! Vc manja, vc pode.

    Abraço :D

    Reply
    • 20 August 2016 at 19:25
      Permalink

      Grande IM

      Galera que gosta de vídeo curto protesta porque faço longo, aí vc vê os acesso dos vídeos longos é superior que os curtos não dá pra entender.

      Vamos ver no que vai dar essa semana nessa novela.

      Reply
  • 20 August 2016 at 01:14
    Permalink

    Olá VD,

    Excelente vídeo

    Muito inspirador para nós jovens que um dia sonhamos em ter o próprio negócio.

    Queria aproveitar e te fazer 2 perguntas:

    1) Com uma estrutura tão enxuta como a sua, como vc faz quando algum funcionário seu precisa tirar férias? Vc cobre ele e trabalha em dobro?

    2) Como se faz para exigir tanta produtividade do funcionário e mantê-lo motivado e/ou não perdê-lo para o concorrente? Vc procurar fazer igual o Jorge Paulo Lemann que estipula um piso baixo e coloca a maior parte da remuneração atrelada ao desempenho? Li o livro deve e vi também que ele oferecia nas empresas dele a possibilidade dos funcionários adquirirem um pequeno % da sociedade para também se sentirem donos do negócio. Vc tb tenta implantar a “cultura de dono” no seu negócio? Se sim, como faz isso?

    abraços e um ótimo final de semana

    Reply
    • 20 August 2016 at 13:38
      Permalink

      Olá Willian

      Ferias o que é isso ? Kkk

      Sobre remuneração é tudo em cima de metas todos trabalham com metas e remunerações em cima dela, mas sem essa história de ser dono, acho que pra isso as ações tem seu papel, quer ter participação de empresa compre ações na bolsa.

      Reply
  • 19 August 2016 at 15:08
    Permalink

    VDD, o crescimento por aquisição é uma boa estratégia. A empresa que estou está fazendo isso, comprando negócios com receita recorrente e focando no ganho de sinergia. A empresa vem crescendo muito e com boa aceitação pelo mercado.

    Acho que você tem que ficar atento às mudanças nos modelos de negócios, pois o mercado de software está em transformação para SaaS. Sua solução já é vendida em modelo SaaS ou Cloud? Se não, qual seria o investimento para chegar neste ponto? fique atento a isso.

    Vi seus dois videos sobre o funcionamento do mercado. Concordo em boa parte do que você disse, mas acho que o mundo de tecnologia está passando por tantas transformações que você tem que tomar cuidado para não ficar apostando em um modelo que está ficando pra trás.

    Abraços

    Reply
    • 19 August 2016 at 16:48
      Permalink

      Olá EI

      Agente têm usado esse modelo de saas que na verdade já é bem antigo não é algo de agora mas que já vem sendo adotado no mercado à um bom tempo.

      O mercado de TI sempre está em constante evolução se vc ficar parado fica pra traz mesmo.

      Aliás qualquer mercado é assim mesmo, hoje em dia as coisas mudam muito rápido.

      Só não entendi onde vc viu que no meu modelo de negócio estou adotando um modelo já ultrapassado ? Hoje o software é um serviço e é isso venho buscando tanto que pulei fora de uma outra empresa por justamente eles não terem esse perfil. Simplesmente não entendi o que vc disse ou vc não entendeu meu case de negócio

      Reply
      • 19 August 2016 at 17:08
        Permalink

        oi VDD, pode ser que eu tenha entendido errado. Como você falou em venda de licença/aluguel, eu fiquei na cabeça que seu modelo de negócios é o mais tradicional e vocês fornecerem a solução através da venda da licença, que é instalada no ambiente do cliente (on- premise), na infra-estrutura própria deles.

        Minha empresa é que uma tradicional fornecedora de software, vem sofrendo com a migração do modelo licença x subscrição x SaaS “puro”.

        Quando falo de SaaS, estou falando ao estilo salesforce.com, em que toda a insfra-estrutura fica na núvem (ou no provedor) e o cliente apenas acessa via Internet. Sei que SaaS não é exatamente um modelo novo, mas recentemente tenho visto uma adoção mais forte por parte de grandes empresas, que não querem comprar mais produtos (CAPEX) e sim contratar como serviço através de um prestador (OPEX).

        Fornecedores tradicionais de software tem migrado para este mercado, como Microsoft (Office 365, Azure, etc), Adobe, entre outros. Sem falar nos fornecedores puramente de serviços com soluções Open Source.

        Se conseguir detalhar melhor seu negócio/infra-estrutura pode ser mais fácil para eu entender.

        Abraços

        Reply
        • 19 August 2016 at 19:00
          Permalink

          Aqui agente já trabalha com esse conceito de SaaS desde o inicio da empresa. Sobre ser inteiramente na nuvem no mercado de pequeno varejo isso não funciona, pra vc ter ideia muitos clientes meus nem internet direito tem então não dá pra partir no all-in pra esse modelo, nesse ponto tenho me inspirado no modelo da apple onde ela tem o iCloud que roda todos os programas locais e fica fazendo push/pull e sincronizando os dispositivos via nuvem, acho que esse meio termo o melhor modelo no momento.

          Já na questão de comercialização aí já gosto de me inspirar na Manhattan que tem um modelo de licença de aquisição e ainda a licença de uso, esse licença de aquisição é fundamental pra fomentar o crescimento da empresa no longo prazo a licença de subscrição fica por conta de bancas os custos operacionais

          Como estamos ainda nessa transição o ideal é adotar medidas de meio termo, agora vou ser sincero pra vc isso não é o maior dos problemas essas mudanças que ocorrem por cima do capo são mais lentas do que as que ocorrem por debaixo, e muitas vezes essas por debaixo são muito neglicenciadas. Pra vc ter uma ideia essa empresa que estou conversando ainda não tem nada de desenvolvimento ágil implantado, já falei com eles que precisamos com urgência de implantar algumas melhorias no processo de desenvolvimento, coisas como scrum / build/ deploys automáticos / testes unitários / repositórios com políticas de branches enfim tem muita coisa nova e muitas vezes essas software houses ainda estão com aqueles modelos engessados do passado.

          As vezes as mudanças tem que ocorrer de dentro pra fora e não de fora pra dentro! Mas fica sussa sempre fui muito ligado nisso tudo!

          Reply
          • 22 August 2016 at 20:45
            Permalink

            Olá VDD,

            Entendi a questão do SaaS. Realmente a situação para pequenos varejos pode não ser a mesma. O ponto é que uma hora ou outra isso vai mudar. Se você entende e está preparado para este momento, tudo beleza.

            Eu não conheço detalhes da Manhattan, mas me parece basicamente a forma como todas as empresas de software trabalham. Modestia a parte, posso dizer que conheço muito bem este mercado. O fato é que o mercado de software está passando por mudanças e do ponto de vista dos fabricantes de software, muitas empresas estão indecisas sobre qual o melhor modelo a seguir, uma vez que não querem comprometer a receita recorrente. Certamente a Manhattan tem este dilema e até mesmo você.

            Concordo que as mudanças internas são muito importantes e se a situação atual da empresa concorrente é esta em termos de metodologia de desenvolvimento, acredito que você tem uma grande oportunidade, pois os ganhos de produtividade, qualidade e eficiência são enormes.

            Abraços

  • 19 August 2016 at 12:23
    Permalink

    Qdo vc vai abrir capital?
    :)
    Serei um da imensa fila…

    Reply
    • 19 August 2016 at 13:13
      Permalink

      Olá DY

      kkkk nem vivendo duas vezes consigo abrir capital

      Reply
  • 19 August 2016 at 10:30
    Permalink

    Olá!

    Visto que você comentou que lê biografias, quais indica?

    Att,
    Silva.

    Reply
    • 19 August 2016 at 11:50
      Permalink

      Olá Silva

      Buffett, Jobs, Gates, Redstone, Lemann, Hill

      Reply
  • 19 August 2016 at 10:16
    Permalink

    VdV, mais um ótimo video! Me interesso mto nessa area de empresas de TI.

    Tenho uma sugestão: posta os videos como podcast tb! Eu mesmo “escuto” os vídeos, se desse pra baixar (ou assinar o podcast – ainda nao achei no WeCast o seu) seria excelente.

    Abraços!

    Reply
    • 19 August 2016 at 11:48
      Permalink

      Valeu M1M

      Quando post o podcast tem lá uma url ou mesmo aqui na lateral do site tem um banner copie a url e cole no wecast que vai funcionar. Pra não desorganizar os projetos vamo deixar esses assunto no YouTube mesmo.

      Reply

Deixe o seu comentário: