Porque não invisto em ETF

Porque não invisto em ETFNesse artigo vou mostrar aos investidores porque montar sua própria carteira de ações é mais vantajoso e menos arriscado do que investir em um ETF. Depois de muitos perguntarem vocês vão entender porque não invisto em ETF. Estive pra fazer esse post a um tempão, mas sempre protelava. Agora como temos alguns blogueiros indo para o mercado americano, resolveu me animar de falar sobre esse assunto, apesar tão espinhoso, esse pessoal fã boy de ETF costuma ser meio fanático kkk.

Pode ter certeza que vai chover de gente nos comentários criticando a veras muitas coisas que vou falar, ou apresentando mil argumentos contra, mas o fato é que acima de tudo eu respeito quem investe em ETF, se o cara quer colocar sua grana nisso, beleza pra mim… acontece que eu não tenho perfil pra esse tipo de investimento.

O retorno dos dividendos

Os dividendos históricamente contribuíram com cerca de 40% do retorno médio das ações do principal índice do mercado. Se considerarmos o reinvestimento desses dividendos teríamos uma contribuição de quase 97% do S&P 500  desde 1871. Assim sendo não é nenhuma surpresa que o interesse cada vez maior dos investidores por empresas de crescimento de dividendos vem aumentando. Se você não sabe do que se trata empresas de crescimento de dividendos dê uma lida nesse artigo.

Temos dois caminhos diferente apresentados aos investidores aspirantes dos dividendos. O primeiro caminho é fazer sua própria carteira. Outro caminho é confiar na experiência de um investidor profissional e investir em fundos de dividendos ou em ETF de dividendos. Neste artigo vamos comparar os dois métodos.

As vantagens dos ETF

  • Uma das principais vantagens dos ETF é que você consegue uma diversificação instantânea, uma vez que muitos deles já possuem uma cesta grande de títulos. Você quando compra um ETF já automaticamente está comprando toda essa diversificação junta.
  • Também pode ser mais barato a níveis de taxas comprar um ETF do que comprar 30 ou 40 ações, porém isso pode ser mitigado dependendo da estratégia de aportes que resolva adotar.
  • Outra vantagem é que um ETF de dividendos você terá bastante tempo economizado na investigação ou manutenção da sua carteira de ações. Este beneficio é especialmente importante para aqueles investidores que são muito ocupados. Talvez para esses o ETF se encaixaria como uma luva. Vamos falar sobre isso novamente na conclusão.

Desvantagens dos ETF

  • Uma desvantagem que pode ser muito prejudicial é que os ETF podem seguir um índice ou ter uma estratégia que é demasiado lenta ao reagir às mudanças do mercado para os ativos que estão na carteira. Por exemplo as empresas que integram o ETF  S&P High Yield Dividend Aristocrats (SDY) são adicionadas ou removidas uma vez ao ano. Isto significa que uma empresa como a General Electric (GE) que cortou os dividendos em fevereiro de 2009 ficou no ETF até dezembro de 2009.

A maioria dos investidores que gerenciam sua própria carteira logo vendem a empresa quando a mesma corta os dividendos, alguns como o Viver de Dividendos sempre que possível tenta prever esse movimento para evitar perdas maiores, veja aqui.

Você precisa entender que quando uma empresa de crescimento de dividendos corta os dividendos as ações despencam, porque as expectativas do mercado sobre a empresa ficam muito ruins, esperar até o final do ano para remover essa posição pode ser muito ruim para o investidor e causar muitos prejuízos. Um risco altíssimo a se correr nesses casos.

  • Outra desvantagem é que muitos desses ETF de dividendos correm no piloto automático. Temos um exemplo recente de ETF que sobrepuseram empresas com rendimentos mais elevados, sem levar em consideração a sustentabilidade do pagamento dos dividendos.

Vocês sabem que sempre falo aqui no blog para não ficarem atras de Yield igual malucos, para procurarem comprar empresa que oferecem um pagamento de dividendos seguros ao longo do tempo, eu mesmo me intitulo um investidor de tempo de mercado e não de timing de mercado.

Sinceramente você paga lá uma taxa administrativa pro ETF rodar no auto-pilou, pra isso você mesmo fazia um filtro de tantas empresa em X% de DY e pronto, mandava comprar. Não se assuste mas muitas ETF funcionam assim, e o pior que muitos investidores enchem a boca pra falar que estão investindo no ETF XYZ e não sabem que ele roda em auto-pilot.Por conta desse problema crônico muitos ETF estavam com sobrepeso de Bank of America (BAC) ou Fifth-Third Bank (FITB) antes desses cortarem os dividendos substancialmente. Isso adicionou ainda mais sofrimento aos investidores do ETF quando o preços das ações começaram a despencar ainda mais.

  • Uma terceira desvantagem dos ETF é a taxa anual de administração. Depende muito de quanto são gerenciáveis o portfólio dos ETF geralmente paga-se algo de 0,40% num iShares Dow Jones Select Dividend Index ETF (DVY) a 0,60% para um Powershares Dividend Achievers ETF (PFM). Isso poderia prejudicar o desempenho no longo prazo e quando você perceber que isso ficou caro demais, aí pode ser tarde!
  • Rotatividade excessiva dentro da carteira também pode atrapalhar bastante os desempenho, já vimos aqui que o ideal é manter as ações por longo período de tempo. Você encontrará muito ETF pequenos mas que terão um alto giro de ações na carteira que pode desvirtuar o desempenho no longo prazo. Conheça aqui a história o pior fundo de investimento de todos os tempos.
  • Outro problema é que os ETF costumam concentrar suas explorações nas blue chips dos dividendos, que são responsáveis por grande parte do movimento dos resultados. Por exemplo as dez explorações de maior expressão no portfólio de um dos maiores ETF o Powershares Dividend Achievers ETF (PFM):
    pfm portifolio
    O PFM tem atualmente 212 participações. As explorações do top10 são correspondentes a mais de 46% do total da carteira. Assim você compra um ETF com 212 participações e 46% da sua carteira fica centralizada em 10 empresas, pra mim não parece ser uma estratégia de diversificação muito inteligente.
  • Outro ponto é a questão fiscal, muitos dizem que ETF reinvestem dividendos vão livrar da mordida dos 30% do imposto de renda cobrada pelo governo americano. Se ele vai reinvestir os dividendos uma hora você vai ter de vender para usufruir da sua IF, nesse momento que você vender, vai pagar ganho de capital sobre o ganho normal e mais os dividendos que foram reaplicados, até aí tudo bem você fica na mesma situação que o cara que tem a carteira própria e já pagou de uma vez os 30%.

O problema é que ganho de capital tem variação cambial, digamos que quando você comprou você pagou ali um dólar de R$ 3 e daqui a 20 anos você foi vender, a inflação e cenário politico nesse nosso país querido, levou o dólar para R$ 6.Bem não precisa ser gênio pra entender que você estará numa situação muito pior que a do investidor que Vive de Dividendos que preferiu ter a sua própria carteira e pagar antecipadamente os seus 30% não correr o risco de variação cambial.

Conclusão

Tem muita gente que investe em ETF e nem conhece ao certo como o índice é montado, isso por si só já daria para fazermos um post trazendo um único exemplo de como um índice de ETF é montando para incluir ou remover ações, iria até abordar aqui, mas ficaria muito extenso e os ETF não são nada fáceis de entender.

Compreender como são incluídas ou removidas determinadas empresas do índice não é uma tarefa muito simples. E muitos investem nesses ETF sem ao menos saber como essas engrenagens funcionam por trás, será que seria muito rude dizer que estão dando um tiro no escuro.

Quer investir nos ETF, primeiro entenda cada ponto de como o índice dele é formado, depois faca seus aportes. Você vai ver que vai gastar mais tempo aprendendo sobre os ETF do que montando sua própria carteira de ações de crescimento de dividendos.

Quando compramos um ETF, teremos que pagar uma taxa anual de gestão, estaremos sujeitos a um grande volume de giro na carteira, exposição anual a respostas do mercado e essencialmente terá uma carteira que não é tão diversificada com parece inicialmente.

Se você simplesmente comprar ações de grandes empresas como o Wal-Mart (WMT), Procter & Gamble (PG), Johnson & Johnson (JNJ), PepsiCo (PEP) e outros, os investidores poderiam se beneficiar dos dividendo sem precisar de pagar taxas anualmente.

Se ao invés disso os investidores focassem em montar sua própria carteira, eles poderiam ajustar o peso de sua carteira de forma mais segura fazendo uma diversificação de verdade, eliminariam as taxas anuais de gestão, eles poderiam investir em pequenas e promissoras empresas de crescimento de dividendos e não ficariam limitados apenas às blue chips.

Apesar de pintar um quadro pessimista sobre os ETF não quer dizer que sejam de tudo ruim, como comecei o artigo ele tem seus pontos positivos, tem suas vantagens seu publico alvo, afinal se fossem de tudo ruim já teriam saído do mapa. No final o importante é você se sentir confortável com seu investimento, se você gosta de ETF e não se sente bem tendo que gerenciar sua carteira de ações, então esqueça tudo que eu disse, se você é como o Viver de Dividendos que não gosta e ETF e gosta de ter o controle do que está fazendo, então esqueça qualquer argumento que bom sobre ETF e continue com sua carteira, e finalmente… se você está indeciso sobre qual caminho seguir, leia novamente o post e tire suas conclusões.

No final o mais importante é você se sentir confortável com o tipo de investimento que escolher para colocar seu dinheiro, não adianta colocar a grana no lugar XYZ porque ali rende melhor, porque disseram que é mais seguro, se isso lhe tira o sono a noite. O melhor investimento é aquele que você se sente mais seguro!