Recessão EUA e as ações em 2023

0
249

Se podermos definir o 2023 em uma palavra na boca dos CEOs, seria: recessão.

De acordo com a Conference Board, em uma pesquisa com 98% dos CEOs esperam uma recessão atinja os EUA nos próximos 12 a 18 meses.

Ano passado 95% dos CEOs esperavam uma recessão 🤷‍♂️ o ponto é que todo ano alguém está prevendo o fim do mundo, eventualmente esses caras acertam.

No artigo a Conference Board espera que a recessão seja rápida e superficial, com a habitação sendo atingida e os serviços na sequência.

Uma recessão é inevitável?

As notícias são importantes? Pode-se argumentar que sim, uma vez que os CEOs estão ali no olho do furação, supostamente têm a melhor previsão sobre o estado dos negócios e da indústria.

O problema é que quando a mídia começa a repetir algo em extenso, as chances de não acontecer é muito grande.

A palavra recessão está na boca dos principais canais de notícias financeiras. Todos, pelo menos um artigo já tem pronto sobre o tema para 2023:

Os economistas erram muito. Na verdade, a previsão dos economistas não acertou uma única recessão desde que os registro foram iniciados em 1970.

O problema que o “mercado” é teimoso em flertar com o inesperado. Os efeitos mais recentes da crise do COVID estão aí para mostrar. Ninguém preveria os acontecimentos antes de 2019.

Esse é o ponto, o esperado é os economistas errarem, mas vai que a máxima do mercado de sempre nos surpreender acontece e para nossa surpresa eles acertam.

Goldman Sachs, tem uma peça do quebra-cabeça, mas eles estão olhando para os aspectos errados.

Em um artigo recente da Bloomberg, foi relatado que os estrategistas do Goldman Sachs viam que os mercados de ações “ainda refletem o risco de uma recessão nos EUA”.

Vamos parar e pensar um pouco sobre isso antes.

O “mercado” deveria ser essa “entidade de pensamento avançado” que reflete a expectativa coletiva dos participantes do mercado sobre o futuro. O quebra-cabeça de porque os mercados parecem ser predicativos está no fato de que a visão média de um grande número de participantes parece superar consistentemente nas opiniões de alguns especialistas.

No momento, economistas, CEOs e a mídia estão completamente convencidos de que haverá uma recessão.

E eles podem estar certos. Mas os mercados estão atualmente precificando que, mesmo que haja uma recessão, pode ser de curta duração e superficial, que é o que a maioria espera.

Se nossos protagonistas estão sendo excessivamente negativos, podemos até esperar nenhum recessão.

Os analistas previram 12 das últimas 2 recessões.

Vejo a recessão como inevitável? Não.

Mas certamente não devemos ignorar que uma recessão é possível.

Luta da inflação

Esse papo de recessão, veio muito por conta da luta da inflação que o governo Biden vem fazendo. Essa luta deles foi comparada ao período inflacionário do início dos anos 80, quando na verdade há muitas semelhanças com o início dos anos 90.

Muitos afirmam que o FED terá que agir como fez o Volcker nos anos 80, induzindo uma recessão por meio de alargamento agressivos de taxas. Mas se a inflação do lado da oferta diminuir, o que poderia muito bem acontecer em 2023, então medidas tão extremas poderiam ser evitadas.

O mercado nem sempre acerta, nem sempre tem lógica. Lembram que um tempo atrás o mercado mandou liquidar todas as ações de energia em 2020-21.

Desde então as ações retornaram 113% a mais que o S&P500. Isso ocorre porque a visão coletiva estava vulgarizando a ideia de que a transição energética estava matando petróleo e gás.

Então, no início de 2021, o mercado estava derretendo as ações de defesa militar, porque “o governo Biden cortaria o orçamento de defesa”.

Escrevi artigos para membros do Ex-Dividend, explicando como as ameaças geopolíticas da China, Russia e todos os demais inimigos dos EUA iriam permanecer elevadas, alias até subir durante o governo Biden. Compramos ativos militares por lá e estamos satisfeitos com os números.

O mercado cometeu um erro clássico de julgar decisões politicas com base em preferências, em vez de restrições. Vou pegar só um exemplo de uma Stock publica que tenho aqui no blog:

Olha que bonito a LMT retornando +38% enquanto o S&P500 faz -19% 🚀🤩

O orçamento da defesa não só não será cortado, como receberá um aumento de 8% para 2023.

Mas na época o mercado pegou uma ideia vulgar: “Os democratas não gostam de defesa” e puniu as ações sem olhar além disso.

Quando o consenso age sobre uma crença superficial, muitas vezes é errado. São essas instâncias que queremos identificar.

Vídeo sobre o tema do artigo

Inflação da demanda ou da oferta?

Então, aqui está a situação atual:

Todo mundo está esperando que os aumentos consecutivos das taxas de juros do Fed acabem matando a economia, à la Volcker.

Só que os números não sugerem tanto isso.

Como você sabe, o que está impulsionando os mercados atualmente é a inflação e a reação do FED à inflação.

Se desta vez for mais como os anos 80, seria porque a inflação é principalmente impulsionada pela oferta, e essa inflação impulsionada pela oferta é persistente.

Lá atrás o pessoal estava convicto que a inflação era impulsionada pela oferta, com a questão de problemas na cadeia de suprimentos da pandemia e ainda a guerra na Ucrânia. Num dos meus últimos podcasts, não tenho certeza se foi esse episódio 90, comentei sobre essa bagunça danada criada pelo Powell.

Parece que a coisa está começando a mudar de figura, alguns estão martelando que a inflação está sendo causada pela demanda.

A demanda durante os assistencialismos na fase COVID, depois tivemos um outro aumento da demanda na abertura, com viagens e hotéis que aumentaram o volume alimentados por economias reprimidas. Eles agora estão recuando, já que as economias reprimidas estão secando.

O crescimento salarial é o que pode levar a loops de aumentos de demandas, mas dada a crise que varejistas como Target, Walmart, VF Corp relataram em segmentos discricionários, estamos vendo uma remodelação de orçamentos (dominado por despesas essenciais das famílias). Falei sobre isso também nos nossos podcasts.

Espera-se que a inflação atinga 3% até o final do próximo ano, um nível no qual não seria mais um problema.

Chegar lá vai prejudicar os consumidores, mas ao contrário dos anos 80, e como os anos 90, são principalmente os trabalhos de colarinho branco que serão direcionados. Cortes de empregos no Twitter, Amazon, Facebook sinalizam isso.

Por outro lado, restaurante e fabricas ainda estão com poucos trabalhadores.

Isso significa que uma crise em toda a economia é improvável. Resta saber se a equipe de marketing do Twitter vai conseguir um emprego em um restaurante, mas o que isso significa é que a parte frágil dos consumidos dos EUA provavelmente não será afetada.

Empregos do colarinho azul superam o número de empregos de colarinho branco de 4 para 1.

Tudo isso vai te lembrar muito o início dos anos 90. A maioria não está olhando para isso dessa maneira. Isso cria oportunidades!

Baixa injustificada na força do consumidor

Não é a parte frágil da economia que será mais impactada por cortes de empregos e uma possível recessão em 2023. São os trabalhadores de colarinho branco.

Portanto, os investidores que estão se preparando para um apocalipse em pagamentos de empréstimos automotivos, pagamento de hipotecas ou pagamentos de cartão de crédito, não vão obtê-lo.

Eles estão projetando outro 2008-2009 no mercado atual, e simplesmente não funcionará dessa maneira.

Uma ação, Ally Financial, foi massacrada pelo mercado este ano por causa da “preocupação do consumidor”. As perspectivas dos analistas colidem com a realidade que a gestão da empresa está percebendo.

"Semelhante ao último trimestre, e consistente com o que temos guiado, vimos um forte crescimento de empréstimos em toda a empresa e, em particular, dentro do financiamento de automóveis. Certamente reconhecemos o ambiente de aperto, mas a subscrição de crédito ao consumidor é uma capacidade central da nossa empresa, e acreditamos que estamos gerando alguns dos empréstimos mais atraentes e ajustados ao risco da história da Ally"

Yield de Ally hoje é 5,11% o mercado está exagerando os riscos. Isso faz uma entrada interessante para essa Stock.

Conclusão

Evite ficar escutando ruídos da mídia, foque em números e não se desespere principalmente quando todos estão assim.

Nesse artigo que pode servir de complemento: Não saia do seu caminho na bolsa, falo sobre essa questão de não ficar escutando esses ruídos de curto prazo.

Previous articleCompras STAG Dez22
Next articleQual o seu objetivo com a bolsa de valores #pp3