Salário mínimo alemão – mais desemprego

2
273

É comum entre os redutos esquerdistas escutarmos que a implantação de uma politica de salário mínimo protege o trabalho e não gera desemprego. Isso talvez não seja verdade!

Salário mínimo foi implantado na Alemanha em 2015 e até o momento parece não ter tido efeitos negativos na economia alemã.

Agora as pessoas ganham mais e poucas perderam seus empregos. Está tudo bem, você pode pensar!

A pressão para aumentar o salário mínimo começou a se fazer cada vez mais alta na Alemanha. Sob pressão dos sindicatos, a Comissão competente decidiu aumentar para 10,45€ a hora de salário mínimo do alemão até 2022.

Um aumento exorbitante desde que ele foi instituído à 8,50€ pois a Europa não tem inflação como no Brasil.

Políticos como sempre gostam de piorar o que já era ruim, o candidato a chanceler do SPD, Olaf Scholz 😡 já tem proposta para ir além e aumentar o salário mínimo alemão para 12€.

Temos também o Biden nos Estados Unidos que já disse que pretende aumentar o salário mínimo americano. É uma boa idéia? Isso já era incerto até agora. E um novo estudo coloca isso ainda mais em questão.

O economista David Card, tinha feito um estudo no qual mostrava que o salário mínimo não causa desemprego. Isso contrasta fortemente com a crença econômica da maioria.

O salário mínimo gera desemprego

Vários economistas fizeram diversos estudos nas décadas seguintes para confirmar o estudo do Card’s seria confirmado.

A esmagadora maioria desses economistas defensores do salário mínimo tinham viés de esquerda.

Recentemente saiu um estudo que coloca um pouco de luz sobre esse assunto.

Os economistas Neumark e Shirley da Califórnia e Virgínia, queriam obter uma visão mais sistemática do estado das pesquisas sobre salário mínimo.

Eles juntaram 66 estudos que lidavam com o salário mínimo nos Estados Unidos desde 1992. Para todos esses estudos eles escreveram aos autores e pediram uma versão padronizada dos resultados.

Qual efeito o estudo encontrou e quão seguro esse efeito parece?

Os autores de 57 estudos responderam, alguns com vários resultados parciais, e suas repostas foram:

  • 80% dos estudos encontraram um efeito negativo no emprego.
  • 50% dos quais foram significativos.

First, there is a clear preponderance of negative estimates in the literature. In our data, 79.3% of the estimated employment elasticities are negative, 55.4% are negative and significant

As estimativas negativas superam claramente.

Salário mínimo na Alemanha

A estimativa que o salário mínimo tenha colocado em risco cerca de 900.000 empregos.

Não quer dizer que ocorreu uma demissão em massa, mas sim que mini-jobs foram convertidos em empregos regulares. Isso teria retirado cerca de 900.000 empregos do mercado caso não existisse o salário mínimo.

Antes, nenhum trabalho do que um mal pago!

Frequentemente ouvimos isso da esquerda hoje. Na verdade, pouca coisa pode deixar um homem tão infeliz quanto o desemprego.

Experimente perguntar isso para quem está todos os dias na busca de um novo trabalho.

A Alemanha já tinha planejado o salário mínimo desde 1990, mas só conseguiu colocar isso em prática agora em 2015, quando o mercado de trabalho andava bem há anos e os alemães já haviam esquecido seu antigo medo do desemprego.

O mesmo já se repetiu em outros países.

Os salários mínimos são frequentemente introduzidos quando a economia está indo bem.

Os efeitos nocivos, portanto, não são perceptíveis no início.

Essa foi a conclusão do estudo de Meer e West descobriram em meados de 1910 que o aumento do salário mínimo ao longo de vários anos inibiu o desenvolvimento do emprego.

Saiu alguns relatórios aqui na comissão do salário mínimo mostrando que o número de horas de trabalho diminuíram.

A coisa começou a se complicar já no ano seguinte a introdução do salário mínimo, quando em 2016 o crescimento do emprego nas industrias foram severamente afetados.

Desde 2018 o crescimento dos empregos tem sido visivelmente menores.

No relatório mostra que as pessoas mal remuneradas tiveram mais chances de perder seus empregos na pandemia do Corona, parte delas teria mantido o emprego sem um salário mínimo.

2 COMMENTS

  1. Politico é famoso por: “para quer simplificar se podemos complicar”.
    Isso é basicamente dar poder ao Estado.
    Quanto mais leis, mais poder o Estado tem.

    Para o povão entender: é o que aconteceu no Brasil com empregada domestica vs. diarista.
    As empregadas domesticas ganharam os direitos idiotas do ditador Getulio Vargas (salario, ferias, decimo terceiro, licença maternidade etc).
    Resultado: foram demitidas e se tornaram diaristas. Estas não tem direito algum, recebem menos e tem que gastar mais tempo no translado em diferentes casas.

    Para os pessoal da politica: os politicos querem é mais leis, independente dela ser boa ou ruim.
    Quanto mais leis, e em níveis diferentes (municipal, estadual, federal, juridica, contabil, ambiental etc) melhor para eles.
    O foco deles é dizer o que pode e o que não pode.
    Assim eles mantem o controle das pessoas, podem prejudicar um setor/sindicato/associação em especifico.
    Bem como eles obtem atenção (mídia, microfone, outdoor etc) e se promovem.
    Fica mais facil de se reeleger dizendo que “fez algo”, independente se é bom ou ruim.

    Um fato curioso que acontece até hoje.
    Repetidamente em TODOS os povos de TODOS os tempos:
    1 samuel 8 (leia o capitulo inteiro).
    Principalmente os versículos: 07 à 20
    Fala que o povo quis complicar o fácil.
    Deus disse que não precisava de ter rei.
    Mas o povo quis imitar os vizinhos que tinham rei.
    Prefere venerar um rei/politico a Deus.
    Detalhe: diz que o rei TOMARÁ os MELHORES patrimonios e os dará aos seus servos.
    MELHORES patrimonios: ouro, terras, filhos, familia, tempo, trabalho, energia, pensamento etc.

    Isso lembra algo? imposto, multa, receita federal, fiscalização, desapropriação, embargos etc.
    Os que tiram notas mais altas viram funcionário publico, ao invés de ser voluntario civil, funcionario privado (administrador, gerente etc), ou empresário.
    Os que tem melhores condições fisicas viram militar (policia civiel, federal, militar, exercito) e os melhores dos melhores viram pelotao de elite (guarda nacional, destacamento, astronautas, Bope etc).
    As pessoas de destaque/resultado grande (empresários, advogados, cientistas) brigam por participação política (financiamento, conselheiro, secretarias, gabinete etc).

    Veja as carretas e comicios (EUA, Brasil, Argentina, Italia, Japão, China etc).
    Politico carregado no ombro, fotografado, em cima de altar de igreja, em cima de palanque, em cima de trio eletrico etc… elevados.
    Feito com muito carnaval, gritaria, discurso vazio/rançoso e pouca profundidade, photoshop maquiados…

    Mais + brasilia, Menos – brasil.
    No Brasil a Magalu babava a Dilma, O velho da Havan baba o bolsonaro, Jorge Paul Leman baba o psdb, o Itau baba o Novo/psdb etc…
    Nos EUA, qualquer notável é convidado a ir a Washington “a convite” (prestigio) do presidente.
    Na china/coreia do norte, os melhores viram burocratas do governo, ou são mortos/coagidos (Jack Ma do Alibaba rsrsrs).

    Perde-se produtividade, aumenta stress, gasto de energia errado.
    E você é obrigado a fazer coisas que não quer.
    Só para não ser chamado de “fora da lei”.
    Exemplo: bitcoin é a nova “ilegalidade”.

    Resumindo:
    Tudo se repete.
    Não aprendemos com a história.
    E aqueles que aprendem, não mudam SEU modo de agir para servir de exemplo.

    • disse tudo

      tem hora que penso que só tem uma salvação ou mandamos esse povo para marte ou vamos nos para marte kkkkk

      mas só tem um forma de combater isso, com o cristianismo

      família cristã de verdade, não vai se sujeitar à idolatria do homem, coloca-lo acima de Deus.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here