Venda da Genuine Parts – GPC – Nov20

2
273

Esse não é um dos posts mais comuns por aqui. Não sou aquele investidor que fica girando de patrimônio. Nesse artigo vou explicar os motivos que me fizeram realizar a venda da Genuine Parts – GPC.

Acho importante manter um registro histórico de porque comprei os ativos, assim como também é importante saber porque precisei de vender.

Nos investimentos, errar menos pode ser mais importante que acertar com frequência. E só há uma maneira de reduzir seus erros na bolsa, observando e aprendendo com suas decisões passadas.

Porque comprei GPC

A GPC é uma varejista de venda de auto peças automobilísticas. Uma das maiores empresas desse segmento no mundo.

A empresa tem mais de 2.600 lojas e estava fazendo a expansão a nível internacional, abrindo lojas na Europa, Austrália e Nova Zelândia.

GPC tem um largo histórico de crescimento de dividendos. Já são mais de 58 anos de crescimento ininterruptos. Uma marca realmente invejosa.

Aqui nós temos uma boa ideia de como a empresa estava em 2015 e de porque a coloquei na minha carteira.

Abri posição na empresa em 2015, há 5 anos atrás a empresa vinha apresentando resultados saudáveis. Até que o mercado de automóveis começou a mudar e ela passou ao longo desses 5 anos por uma reestruturação.

O mercado de auto peças começou a passar por uma transformação. Na verdade o mercado automobilístico por um todo está em uma mudança muito brusca.

Reestruturação é algo bem normal em uma empresa com 58 anos crescendo dividendos, ninguém consegue ficar com esse recorde por tanto tempo fazendo sempre a mesma receitinha.

Por conta dessa dificuldade toda, acabei não fazendo novos aportes na empresa.

Mudanças no meio do caminho

Com as vendas de peças automotivas em forte queda ano após ano. As receitas da GPC, que até 2015 vinha em crescimento saudável, começaram a cair.

A empresa precisava de mudar o foco para continuar a crescer sua receita, consequentemente seus lucros e dividendos.

A empresa começou a adquirir fabricantes e revendedores de peças industriais.

Estava passando de uma modelo B2C, que atendia o consumidor, para um modelo de B2B para atender indústria.

Essas mudanças conseguiram segurar um pouco os números da empresa. As receitas continuavam em queda de -10% nesse último trimestre, mas os lucros voltaram a subir.

Os lucros da GPC ficaram em 236 milhões comparado com 203 milhões do ano passado. Um aumento significativo de +17% nos ganhos.

Isso boa parte vem da sinergia e corte de custos que a empresa vem se aproveitando a partir dessas aquisições.

A GPC ficou ruim ?

Apesar de toda a mudança no case, acho que a administração tem feito um trabalho legal. As aquisições que eles fizeram agregaram bons número para a GPC.

São empresas que já eram lucrativas e tinha bom Market Share. Por exemplo, ano passado mesmo ela adquiriu uma das maiores empresas de venda autopeças da Holanda. Um negócio que colocou 147 lojas com receita de 330 milhões a mais no balanço.

Mas não é apenas no setor automotivo que ela vem adquirindo. Suas maiores expansões tem sido na parte industrial.

GPC também comprou 65% da Inenco Group, uma empresa Australiana. Em 2017 a GPC já tinha comprado os 35% ficando agora com o controle total da empresa.

A Inenco tem 160 lojas espalhadas pela Australia, Nova Zelândia e Asia. Gerando uma receita anual de $400 milhões.

Seu foco é mais peças de reposição para Industria. O que pode ser bom a nível de diversificação. A GPC já tem expertise em distribuição não tem porque ficar ancorada apenas no setor automotivo.

Porque estou vendendo?

Se não ficou ruim, porque estaria vendendo?

Ocorre que quando entrei na GPC, fiz por conta da sua participação no mercado de venda de auto-peças. Era na época um mercado que me atraia pela sua resiliência na crise.

O problema que o cenário do mercado mudou, resolvi aguardar para ver como ela iria se comportar nessa nova fase.

Quando percebi que ela estava indo mais para um alinha de revenda de peças industriais, resolvi retira-lá da carteira.

Eu já tinha minhas escolhas na parte industrial, estava mais inclinado na produção industrial e não na revenda.

Tenho 3M e Emerson Electric que me atendem bastante nessa parte e não via a necessidade de manter uma terceira industrial na carteira. Isso sem falar nos REITs ligados a esse segmento.

A partir daí resolvi retirar a GPC da minha carteira pública.

[table caption="Venda de Novembro de 2020 na bolsa de New York" colalign="left|center|center"]

Empresa | Código | Qtde
GENUINE PARTS CO | GPC | 8
[/table]

2 COMMENTS

  1. Tudo Bem VD?
    Parabéns e obrigado pelo conteúdo, sempre ajudando muito.
    Muito bom o post, bem explicado.

    Tenho uma pergunta, que nao esta relacionada diretamente relacionada s este post, mas também a respeito de vendas.
    Eu observei que na sua carteira nao esta incluído mais o REIT ***, também o vendeu?
    Valeu, abraco.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here