Rentabilidade vs Aportes

value iconExistem coisas que são opostas por natureza como torcer para o Brasil vs Argentina, ser religioso vs ateu, política de direita vs política de e
squerda, Rentabilidade vs Valor aqui é onde vamos nos prender esse tema que para alguns parece ser tão complexo, mas é bem simples de entender.


Quando iniciamos os investimentos na bolsa geralmente focamos mais na rentabilidade, isso é normal pois as vezes nossos primeiros contatos com investimentos são em ativos onde a rentabilidade tem um fator fundamental, como uma poupança, renda fixa, previdência privada, no mercado de ações a coisa é um pouco diferente, pois a rentabilidade não necessariamente teria um fator importante para o sucesso de sua carteira no longo prazo.

No mercado de ações podemos considerar dois grupos de pessoas:

  • Grande investidor: geralmente são pessoas com muito dinheiro para se investir, as vezes proveniente de uma herança ou venda de algum ativo de alto valor, ou seja injetam grandes quantias porém esporadicamente.
  • Pequeno investidor: é aquele que faz uma economia do seu salário mensal e investe pequenas quantias e faz aportes quase que mensalmente.


Acredito que se você está aqui deve fazer parte do segundo grupo de investidores, e esse estudo é dedicado para aqueles que aplicam pequenas quantias mensais.

Entendendo o conjunto da opera

siegel2Os investidores que adotam a rentabilidade nas suas analises sempre foram maioria na bolsa, isso é motivado em boa parte pelo fato das literaturas sobre investimentos serem focadas no grande investidor, podemos contar nos dedos da mão os livros de qualidade direcionado ao pequeno investidor, apesar de todas as dificuldades existe um movimento de pessoas no mercado e de pequenos blogs para mostrar ao pessoal que focar em rentabilidade não é a melhor maneira de se vencer na bolsa.

Você deve estar se perguntando onde surgiu e quem tirou essa ideia de que rentabilidade não serve para nada quando se está investindo com aportes mensais e visando o longo prazo.

Essa filosofia de buscar o aumento de aportes mensais surgiu nos EUA (claro não poderia ser em outro lugar) com o professor Jeremy Siegel Ph.D do MIT o cara é um divisor de agua nos investimentos, literatura recomendada para todos que estejam querendo investir no mercado de ações.

Aqui no Brasil nos podemos colocar o ilustre Bastter é um dos grandes divulgadores dessa metodologia no mercado brasileiro e fundador de um dos melhores sites de investimento no mercado.

O preço não importa

Se você não é novo por aqui já deve ter visto em outros artigos que eu não utilizo o preço como fator de decisão para entrar ou sair de um investimento, pois para quem faz buy and hold isso não faz a menor diferença, o importante acima de tudo é o quanto você consegue investir por mês.

Fazer com que seus aportes mensais crescem ao longo do tempo lhe trará um retorno muito maior que perder horas e horas estudando empresas para achar aquela que tem X % de desconto.

Fiz nesse artigo um estudo para comprovar na prática que quem aumenta os seus aportes mensais vai se sair melhor do que aquele que consegue a melhor rentabilidade.

Simulei 3 investidores que efetuam compras mensais do Bradesco [BBDC4] de Janeiro de 2004 a Junho de 2014, que aportaram inicialmente R$ 1.000,00 vamos considerar uma inflação de 8% a.a. (geralmente o índice de inflação no país fica na casa dos 6% a.a. coloquemos uma margem para tornar a coisa mais real).

  • 1º Investidor: é um cara que investe focado em rentabilidade, perde horas no mês analisando as empresas para achar o melhor momento para efetuar a compra, se preocupa com a cotação do ativo mas não se importa com o quanto ele separa por mês para seus investimentos ele acredita que conseguindo comprar sempre mais barato irá vencer na bolsa.Ele vai conseguir comprar sempre na menor cotação do mês (coluna MIN) o que é praticamente impossível uma pessoa acertar o fundo de uma ação todos os meses ao longo de 10 anos, mas vamos supor que esse investidor é um ponto fora da curva e consiga isso.

    Apesar dele não conseguir aportar muito por mês eu ainda considerei um aumento de aporte de 8% anual somente para evitar que ele não perca capital com a desvalorização anual decorrente da inflação.

  • 2º Investidor: é um cara que investe focado em aumentar os aportes mensais, ele não se importar com o preço do ativo na hora de comprar, o cara está focado no seu trabalho e em sempre produzir mais dinheiro por mês para poder investir mais.Ele tem mantido uma meta de aumentar anualmente 16% do seu aporte mensal (o dobro da inflação) isso daria mensalmente 1,33% (vou colocar mensalmente para facilitar o estudo mas eu gosto de analisar os números sempre anualmente) levando-se em conta que ele investe 10% do seu salário de R$ 10.000,00 ele só precisaria de míseros R$ 13,30 por mês, nada muito difícil de se conseguir para um cara que ganha R$ 10.000,00 por mês.No final das contas ele vai manter uma taxa de aporte de aproximadamente 50% do salário de 10 anos atras, super tranquilo de se conseguir, mas vamos ser mais realista o cara não ficaria 10 anos sem ganhar aumento de renda.

    Considerando-se que ele reajuste o salário pelo menos pela inflação, em 10 anos ele estará recebendo mais que o dobro do que ganhava de salário.

    Veja que estou sendo muito conservador aqui, se ele investe o dobro da inflação mensal ele poderia aumentar seu salário para o dobro da inflação também o que lhe daria uma renda mensal de mais R$ 52.000,00 o que lhe permitiria investir por mês mais do que eu informei no estudo.

    Data Salário Inflação de 8% a.a. Aporte Economia
    Em 2004 R$ 10.000,00 R$ 1.000,00 10% do salário
    Em 2014 R$ 23.041,38 R$ 5.215,01 22% do salário

    Enfim ele é um azarão nos investimentos e por azar ele sempre consegue comprar no topo do preço (coluna MAX) o que também é muito difícil um cara acertar o topo todos os meses por 10 anos.

  • 3º Investidor: é um cara como eu e você que compra sempre na média mas tem buscado aumentar seus aportes mensais na mesma proporção que o 2º investidor, esse camarada não se importa com o preço ele simplesmente lança o preço de compra e não se preocupa se é o maior ou menor do mês. Esse seria o mais próximo da realidade para interpreta-lo eu usei o preço médio de venda das ações do Bradesco no mês (coluna MED).

Mais abaixo acompanhe a tabela mostrando esses desdobramentos.

Conclusão

1º Investidor termina com 5.496 ações do Bradesco, foi o que apresentou o pior resultado dos três mostrando que pouco importa o preço que você paga numa ação.

2º Investidor termina com 9.129 ações do Bradesco foi o intermediário, mas também o cara que conseguir comprar no topo por 10 anos pode jogar na mega-sena que vai ficar rico.

3º Investidor termina com 9.254 ações do Bradesco foi o melhor resultado, ele quase que teria o dobro do 1º investidor que é quem investe focado em rentabilidade, buscando comprar sempre mais barato. Podem ver que a diferença de ações para o 2º investidor é muito pequena ou seja mesmo que você consiga ser “o melhor dos dois mundos” e consiga aumentar seus aporte e ainda sim conseguir compra mais barato a cada mês você terminará com quase a mesma quantidade de ações que o pior investidor do mercado.

Comprovado a teoria em números e agora se tornando um fato você cai na questão mais difícil, que é: Como aumentar meus aportes mensais?

Basicamente temos duas opções:

  • Gastar menos do que ganha a cada mês. (isso é crucial e será assunto de outro post)
  • Ganhar cada mês mais e manter seus gastos relativamente estáveis.

O desafio está em fazer sobrar sempre mais por mês, você precisa estar sempre buscando ganhar mais que o mês anterior, se você é dono do seu próprio negócio, se é um profissional autônomo e consegue gerar sua própria renda, pode ser mais simples de se conseguir esse objetivo.

Mas talvez você esteja numa profissão ou trabalho onde não tenha perspectivas de crescer no curto prazo, mas o importante é você travar um objetivo montar um plano de vida profissional que seja rentável no longo prazo que lhe permita aumentar os seus rendimentos mês a mês, talvez de imediato você não consiga isso, então nesse caso foque em gastar menos todo mês até que você consiga uma condição de aumentar a sua receita mensal.

Você pode ser um assalariado e mesmo assim fazer um bico ou arrumar uma fonte de renda extra, enfim existem inúmeras opções e apesar de todas as nossas dificuldade no Brasil o que não falta é oportunidades para quem quer trabalhar e crescer de verdade nesse país.

 

Dados históricos do estudo - BRADESCO BBDC4
DATA MIN MAX MED Aporte
+ 8% a.a.
Foco Rent.
1º Investidor
Aporte
+ 1,33% a.m.
+$ Mensal – MAX
2º Investidor
+$ Mensal – MED
3º Investidor
01/2004 15,09 15,30 15,19 1000,00 66 1.000,00 65 66
02/2004 13,80 14,80 14,41 1.006,70 139 1.013,30 134 136
03/2004 14,63 15,00 14,90 1.013,44 208 1.026,78 202 205
04/2004 140,00 143,97 142,23 1.020,23 216 1.040,43 210 212
05/2004 117,50 121,00 118,67 1.027,07 225 1.054,27 218 221
06/2004 131,00 134,00 132,40 1.033,95 232 1.068,29 226 229
07/2004 140,00 145,65 143,95 1.040,88 240 1.082,50 234 237
08/2004 139,60 141,90 140,78 1.047,85 247 1.096,90 241 245
09/2004 140,51 143,50 141,91 1.054,87 255 1.111,49 249 252
10/2004 150,80 158,00 155,21 1.061,94 262 1.126,27 256 260
11/2004 171,11 173,00 171,74 1.069,06 268 1.141,25 263 266
12/2004 178,15 183,32 180,60 1.076,22 274 1.156,43 269 273
01/2005 65,00 66,34 66,04 1.083,43 291 1.171,81 287 291
02/2005 63,60 64,50 64,14 1.090,69 308 1.187,39 305 309
03/2005 81,21 85,25 84,30 1.098,00 322 1.203,19 319 323
04/2005 77,01 79,00 78,21 1.105,35 336 1.219,19 335 339
05/2005 78,23 82,50 80,34 1.112,76 350 1.235,40 350 354
06/2005 77,34 78,40 77,79 1.120,21 365 1.251,83 366 370
07/2005 82,80 84,35 83,84 1.127,72 378 1.268,48 381 385
08/2005 82,70 85,59 84,66 1.135,28 392 1.285,35 396 401
09/2005 98,99 100,90 99,99 1.142,88 403 1.302,45 409 414
10/2005 108,55 113,45 111,87 1.150,54 414 1.319,77 420 426
11/2005 116,85 122,00 119,80 1.158,25 424 1.337,32 431 437
12/2005 67,80 70,10 69,61 1.166,01 441 1.355,11 451 456
01/2006 65,68 68,20 66,67 1.173,82 459 1.373,13 471 477
02/2006 86,05 88,20 86,84 1.181,68 473 1.391,40 486 493
03/2006 89,23 91,75 90,43 1.189,60 486 1.409,90 502 508
04/2006 78,00 80,60 79,83 1.197,57 501 1.428,65 520 526
05/2006 78,64 80,10 79,43 1.205,60 517 1.447,66 538 544
06/2006 70,40 73,00 72,15 1.213,67 534 1.466,91 558 565
07/2006 67,77 70,45 69,63 1.221,81 552 1.486,42 579 586
08/2006 71,06 72,68 71,84 1.229,99 569 1.506,19 600 607
09/2006 69,75 72,37 71,38 1.238,23 587 1.526,22 621 628
10/2006 72,77 74,43 73,79 1.246,53 604 1.546,52 641 649
11/2006 76,09 77,77 77,15 1.254,88 621 1.567,09 662 670
12/2006 79,75 82,00 80,43 1.263,29 637 1.587,93 681 690
01/2007 86,20 89,55 88,49 1.271,75 651 1.609,05 699 708
02/2007 85,30 87,50 86,34 1.280,27 666 1.630,45 718 727
03/2007 74,52 79,01 76,70 1.288,85 684 1.652,14 738 748
04/2007 40,53 42,00 40,95 1.297,49 716 1.674,11 778 789
05/2007 43,53 44,48 44,18 1.306,18 746 1.696,37 816 827
06/2007 49,10 50,31 49,90 1.314,93 772 1.718,94 851 862
07/2007 46,55 47,21 46,86 1.323,74 801 1.741,80 888 899
08/2007 47,75 49,01 48,36 1.332,61 829 1.764,96 924 936
09/2007 49,00 49,70 49,26 1.341,54 856 1.788,44 960 972
10/2007 53,46 55,25 54,68 1.350,53 881 1.812,22 992 1.005
11/2007 57,22 58,50 57,74 1.359,57 905 1.836,33 1.024 1.037
12/2007 56,60 58,30 57,72 1.368,68 929 1.860,75 1.056 1.069
01/2008 52,90 56,86 54,40 1.377,85 955 1.885,50 1.089 1.104
02/2008 44,74 47,39 45,88 1.387,09 986 1.910,57 1.129 1.145
03/2008 52,40 54,35 53,44 1.396,38 1.013 1.935,99 1.165 1.182
04/2008 49,15 50,02 49,68 1.405,74 1.042 1.961,73 1.204 1.221
05/2008 39,55 41,50 40,53 1.415,15 1.077 1.987,83 1.252 1.270
06/2008 37,90 39,00 38,36 1.424,64 1.115 2.014,26 1.303 1.323
07/2008 31,65 32,70 32,22 1.434,18 1.160 2.041,05 1.366 1.386
08/2008 32,30 33,19 32,63 1.443,79 1.205 2.068,20 1.428 1.449
09/2008 29,28 30,00 29,57 1.453,46 1.255 2.095,71 1.498 1.520
10/2008 29,50 31,20 30,45 1.463,20 1.304 2.123,58 1.566 1.590
11/2008 25,00 27,50 26,18 1.473,00 1.363 2.151,82 1.644 1.672
12/2008 22,67 23,85 23,18 1.482,87 1.429 2.180,44 1.736 1.766
01/2009 22,79 24,89 24,19 1.492,81 1.494 2.209,44 1.825 1.858
02/2009 20,13 20,70 20,32 1.502,81 1.569 2.238,83 1.933 1.968
03/2009 19,80 20,69 20,09 1.512,88 1.645 2.268,60 2.042 2.081
04/2009 22,77 23,83 23,45 1.523,02 1.712 2.298,78 2.139 2.179
05/2009 27,00 28,40 28,06 1.533,22 1.769 2.329,35 2.221 2.262
06/2009 30,35 31,20 30,85 1.543,49 1.820 2.360,33 2.297 2.338
07/2009 28,75 29,30 29,03 1.553,83 1.874 2.391,72 2.378 2.421
08/2009 29,85 30,28 30,13 1.564,24 1.926 2.423,53 2.458 2.501
09/2009 30,14 31,00 30,56 1.574,72 1.978 2.455,77 2.537 2.581
10/2009 34,71 35,66 35,17 1.585,28 2.024 2.488,43 2.607 2.652
11/2009 34,25 35,78 35,09 1.595,90 2.071 2.521,52 2.678 2.724
12/2009 36,55 37,56 37,22 1.606,59 2.115 2.555,06 2.746 2.793
01/2010 36,80 37,93 37,57 1.617,35 2.159 2.589,04 2.814 2.862
02/2010 31,43 31,99 31,74 1.628,19 2.210 2.623,48 2.896 2.944
03/2010 31,23 31,64 31,49 1.639,10 2.263 2.658,37 2.980 3.029
04/2010 32,95 33,45 33,24 1.650,08 2.313 2.693,72 3.061 3.110
05/2010 31,54 32,21 31,76 1.661,14 2.366 2.729,55 3.145 3.196
06/2010 29,39 30,35 29,98 1.672,27 2.423 2.765,85 3.236 3.288
07/2010 28,06 29,37 28,76 1.683,47 2.483 2.802,64 3.332 3.385
08/2010 32,19 32,69 32,50 1.694,75 2.535 2.839,92 3.419 3.473
09/2010 30,69 31,60 31,31 1.706,10 2.591 2.877,69 3.510 3.565
10/2010 33,72 34,45 34,22 1.717,53 2.642 2.915,96 3.594 3.650
11/2010 35,11 36,27 35,84 1.729,04 2.691 2.954,74 3.676 3.732
12/2010 33,95 34,70 34,43 1.740,63 2.742 2.994,04 3.762 3.819
01/2011 32,90 33,47 33,20 1.752,29 2.795 3.033,86 3.853 3.911
02/2011 30,84 31,26 31,02 1.764,03 2.853 3.074,21 3.951 4.010
03/2011 31,40 32,20 31,67 1.775,85 2.909 3.115,10 4.048 4.108
04/2011 33,26 33,94 33,65 1.787,75 2.963 3.156,53 4.141 4.202
05/2011 30,90 31,70 31,07 1.799,72 3.021 3.198,51 4.242 4.305
06/2011 30,37 31,10 30,69 1.811,78 3.081 3.241,05 4.346 4.410
07/2011 31,30 32,00 31,81 1.823,92 3.139 3.284,16 4.449 4.514
08/2011 29,40 30,20 29,79 1.836,14 3.202 3.327,84 4.559 4.625
09/2011 28,77 30,42 29,92 1.848,44 3.266 3.372,10 4.670 4.738
10/2011 27,00 27,91 27,39 1.860,83 3.335 3.416,94 4.792 4.863
11/2011 29,70 31,06 30,37 1.873,30 3.398 3.462,39 4.904 4.977
12/2011 30,00 30,83 30,57 1.885,85 3.461 3.508,44 5.017 5.092
01/2012 30,35 31,00 30,69 1.898,48 3.523 3.555,10 5.132 5.207
02/2012 30,87 31,65 31,17 1.911,20 3.585 3.602,39 5.246 5.323
03/2012 31,32 31,78 31,58 1.924,01 3.647 3.650,30 5.361 5.439
04/2012 31,76 32,23 32,01 1.936,90 3.708 3.698,85 5.475 5.554
05/2012 30,09 30,98 30,53 1.949,88 3.772 3.748,04 5.596 5.677
06/2012 28,84 29,90 29,56 1.962,94 3.840 3.797,89 5.723 5.805
07/2012 29,65 30,17 29,93 1.976,09 3.907 3.848,40 5.851 5.934
08/2012 30,93 31,95 31,60 1.989,33 3.971 3.899,59 5.973 6.057
09/2012 32,93 33,62 33,44 2.002,66 4.032 3.951,45 6.091 6.176
10/2012 32,25 33,37 32,98 2.016,08 4.095 4.004,00 6.211 6.297
11/2012 31,84 33,18 32,72 2.029,59 4.159 4.057,26 6.333 6.421
12/2012 35,50 36,11 35,82 2.043,18 4.216 4.111,22 6.447 6.536
01/2013 35,76 36,44 36,13 2.056,87 4.274 4.165,90 6.561 6.651
02/2013 36,00 36,67 36,36 2.070,65 4.331 4.221,30 6.676 6.767
03/2013 34,95 35,89 35,48 2.084,53 4.391 4.277,45 6.795 6.888
04/2013 33,64 34,37 33,91 2.098,49 4.453 4.334,34 6.921 7.015
05/2013 32,63 33,48 32,95 2.112,55 4.518 4.391,98 7.053 7.149
06/2013 33,15 34,35 33,40 2.126,71 4.582 4.450,40 7.182 7.282
07/2013 28,40 29,00 28,65 2.140,96 4.657 4.509,59 7.338 7.439
08/2013 27,85 28,67 28,39 2.155,30 4.735 4.569,57 7.497 7.600
09/2013 27,80 28,56 28,14 2.169,74 4.813 4.630,34 7.659 7.765
10/2013 30,11 30,91 30,69 2.184,28 4.885 4.691,92 7.811 7.918
11/2013 31,96 32,46 32,21 2.198,91 4.954 4.754,33 7.957 8.065
12/2013 30,12 31,18 30,59 2.213,65 5.028 4.817,56 8.112 8.223
01/2014 28,76 29,25 29,03 2.228,48 5.105 4.881,63 8.279 8.391
02/2014 25,02 25,99 25,36 2.243,41 5.195 4.946,56 8.469 8.586
03/2014 26,77 27,29 26,93 2.258,44 5.279 5.012,35 8.653 8.772
04/2014 31,00 31,53 31,25 2.273,57 5.353 5.079,01 8.814 8.935
05/2014 32,96 34,21 33,72 2.288,80 5.422 5.146,56 8.964 9.087
06/2014 31,03 31,60 31,30 2.304,14 5.496 5.215,01 9.129 9.254

 

 

 

30 thoughts on “Rentabilidade vs Aportes

    • 21 August 2016 at 17:45
      Permalink

      Olá Alice

      Pessoal fica obcecado com rentabilidade e negligência o principal fator no ruma a independência financeira.

      Reply
  • 25 July 2016 at 23:55
    Permalink

    Olá. Tenho muita dúvida com relação a um tópico.
    Já invisto em ações e dividi minha carteira em 50% RF e 50% Ações. Minha dúvida é que vejo a RF seguir a regra do juros compostos e as ações não. Tem mês que algumas das 12 empresas que eu invisto não me dão 1 centavo de retorno.
    Não acompanho o preço da ação, mas também não consigo enxergar os dividendos trabalhando a meu favor. Estou avaliando corretamente?

    Reply
    • 26 July 2016 at 02:19
      Permalink

      Olá Rafael,

      Sugiro dar uma lida no livro do Jeremy Siegel, leitura obrigatória pra qualquer investidor o cara escreveu um livro respondendo exatamente essa sua pergunta.

      Bem a grosso modo olhe esse gráfico talvez lhe ajude a encontrar o problema:

      Agora olhe o que tem acontecido comigo:

      será que você não está fazendo algo errado, tem muito material aqui no blog pra lhe auxiliar sugiro dar uma lida em alguns tópicos chaves certamente tem alguns ajustes a serem feitos na sua carteira de ativos.

      Reply
  • 30 June 2016 at 15:47
    Permalink

    opa VD, cara nao vejo a hora do tempo passar e ver o boom da minha carteira. Três anos seguidos de BH nessa crise toda não é pra qualquer um, eu me conheço bem, alguns diriam que sou doido ou que tenho nervos de aço, mas eu não sinto nada, eu sou meio anestesiado quanto ao dinheiro, parece tudo meio virtual, meu consolo é que daqui a uns 10 anos vou ganhar muitos dividendos então a valoração do meu patrimonio não me preocupo muito. Legal seu post, vc faz mt pela blogosfera financeira. Grande abraço!

    Reply
    • 30 June 2016 at 22:44
      Permalink

      Grande frugal

      Os ciclos dos mercados se comportam um pouco diferentes em cada país. O importante é deixar os juros compostos fazerem seu efeito. Focar no autêntica dos aportes e ver os dividendos crescerem todos os anos.

      Reply
  • 19 May 2016 at 22:32
    Permalink

    Olá viver de dividendos, estou começando nesta caminhada, já tenho um valor guardado, e começarei a anotar tudo, aportarei 20% em media do meu salario, podendo ser mais conforme o meses.

    Gostei muito deste artigo e me identifiquei com essa ideia! o que importa, e que vai fazer maior diferença no futuro é o aporte mesmo.

    No momento, estou com 60% em TD, e 40% como reserva emergência. Você me indicaria começar a aportar em ações desde já?

    Reply
    • 20 May 2016 at 00:52
      Permalink

      Olá Rayann

      Depende dos seus objetivos. Vc ainda pretende ficar com exposição na RF?

      O que vc pode é ir direcionando os novos aportes pra ações.

      Independente do que fizer sugiro ir entrando devagar nas ações divide seu capital que vc já tem e vai aportando junto com o que vc economizou no mês.

      Com isso vc ganhando mais experiência no mercado e aprendendo mais das empresas

      Reply
    • 16 May 2016 at 03:15
      Permalink

      Sempre

      Reply
  • 14 May 2016 at 05:02
    Permalink

    quero entender o seguinte, sou iniciante, compro um açao a 20,00 ela cai para 10.00,8,00,7.00 devo vender ou aguardar ate ela subir e passar do valor de compra…

    Reply
    • 14 May 2016 at 08:56
      Permalink

      Olá Roberto

      Depende do que vc está fazendo é buy and hold, é trade gráfico, é trade de valor

      Reply
  • 27 April 2016 at 16:15
    Permalink

    Acabei de conhecer o blog e esse artigo, mesmo que antigo, é sempre pertinente para quem, como eu, está meio perdida. Eu fico insegura nas compras com medo de ter comprado em alta, mas também fico receosa de esperar e a ação só subir (como é o caso de uma empresa q eu gosto muito, mas a cotação só sobe). Lendo isso dá uma visão diferente e mais confortante! Obrigada!

    Eu só tenho uma dúvida com relação a aportes mensais: no meu caso, os meus aportes não tem como ser muito grandes, pelo menos não nos próximos 2/3 anos, operar no fracionário seria interessante? Eu acho opiniões bem divergentes sobre o fracionário… :/

    Reply
    • 27 April 2016 at 19:03
      Permalink

      Olá Izabela

      Bom saber que o artigo lhe ajudou de alguma forma. Realmente esqueça essa bobeira de comprar ação muito cara, geralmente quem fala isso vive entupido de ações micadas, se quiser comprar empresa boa vai acabar pagando o preço, agora se quiser barato vai ficar com as ruins, aí vale aquele velho ditado popular: o barato sai caro! e nas ações sai muito mais caro.

      Não vejo problema algum em operar no fracionado e não se preocupe com o tamanho do aporte o importante é o quanto da sua renda vc está conseguindo aportar, se vc ganha 1000 reais e aporta 500 vc estaria numa situação melhor de quem ganha 5 mil e aporta mil reais

      O importante é manter uma taxa de aportes crescentes ao longo dos anos, procure aumentar sua renda e reduzir as despesas para poder aumentar gradativamente os aporte.

      Reply
  • 19 September 2014 at 17:02
    Permalink

    Sócio tem que querer comprar cada vez mais caro… é assim que se ganha nesse jogo…

    Reply
    • 21 September 2014 at 10:10
      Permalink

      Olá Andre Alvim,

      Sim tomara que sempre suba de preço kkkk…

      Reply
  • 17 August 2014 at 14:29
    Permalink

    Eu nem perco muito tempo fazendo estas simulação. Gosto mesmo é de guardar dinheiro na renda fixa enquanto o mercado esta eufórico como agora, e nos momentos de crise brava eu entro comprando forte. Mas mesmo assim reservo uma pequena parte do salário para aportes periódicos em empresas não cíclicas como AMBEV e CIELO, sou partidário das duas abordagens, como já dizia Nelson Rofrigues: Toda unanimidade é burra!

    Reply
  • 10 August 2014 at 16:21
    Permalink

    Comparar um aporte fixo com um aporte que vai aumentando não faz sentido num país com inflação alta. Utilizando aportes iguais, se o investidor procurar melhores momentos para investir e deixar o dinheiro em aplicação de renda diária (algum fundo DI D+O na própria corretora) esperando esses momentos vai dar um resultado bem melhor que qualquer um acima. Claro, não estou falando de ações de crescimento acelerado. Não precisa ficar acompanhando o dia inteiro, é só dar uma olhada por dia. Um exemplo, faça o cálculo da diferença de quem compra ABEV, BBAS, CMIG, PSSA, ITUB (e outras desse nipe) ao preço do momento, e quem deixa o dinheiro rendendo em DI e compra numa queda.

    Reply
    • 10 August 2014 at 16:37
      Permalink

      Você está comparando coisas totalmente diferentes, uma coisa é investir em ação visando o buy and hold outra é aplicar em fundo de investimento, além do mais são pouquíssimos os fundos que sobrevivem no longo prazo, temos taxa de administração, IR sobre ganho de capital, enfim são muitas variáveis diferentes para se comparar um com o outro.

      Reply
      • 10 August 2014 at 19:09
        Permalink

        Opa. Não falei de melhor momento no longo prazo, até porque isso demanda muito estudo. Falei de pequenas quedas de até 1%-5% (o que acontece com muito frequência). Isso pode parecer pouco, mas esse pequeno valor praticado com frequência no Buy&Hold, depois de 20-30 anos, comprando com esses descontos (que acabam recebendo juros compostos de 20-30 anos), gera uma diferença bem significativa. Digamos que sempre compre com um desconto médio de 2%, verifique o que vai dar isso em 30 anos. Um exemplo bem direto, ABEV está acima de R$ 17, comprar ou esperar cair R$ 0,50 (3% de ganho – fora o que vai render no DI diário até cair os 3%) ? É pouco ? Agora imagina que você comprou 3% a mais de ações que vão valorizar e te dar dividendos para comprar mais ações usando a mesma técnica por 30 anos. Bem, é isso, só calcular.

        Reply
        • 10 August 2014 at 19:56
          Permalink

          É justamente essa postura de esperar o melhor momento de comprar tanto no curto ou longo prazo que eu quis mostrar no artigo que isso não faz a menor diferença você pega um investidor que consiga comprar sempre no mínimo ele vai ganhar algum percentual mas o importante no final que vai garantir o sucesso não é isso mas sim o quanto vc consegue guardar por mês. É só olhar na tabela ai acima.

          Você conseguir comprar no mínimo exige uma certo conhecimento, perder um bom tempo para analisar o mercado para achar o melhor ponto, ok você pode fazer isso! Mas num seria melhor o cara se dedicar na sua profissão e tentar ganhar mais receita mensalmente para pode aportar mais ao invés de gastar energia tentando achar um melhor momento de compra.

          Reply
        • 11 August 2014 at 06:57
          Permalink

          Amigo BraRunner,
          É aí que você se engana, ao comprar mais barato, digamos 3%, no longo prazo a diferença será de 3%, com um agravante, pode ser que o papel que você esta esperando cair nao caia e continue subindo e ao deixar de comprar no preço do momento, perdeu a oportunidade de se aproveitar da subida.

          Fiz um estudo sobre exatamente isso que deu o que falar, se quiser de uma olhada http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br/2014/02/a-falacia-do-valuation-no-buy-hold.html

          Vdd, acho interessante este tipo de estudo que fez, mas realmente o fato do 1.o investidor nao aumentar o aporte deixou o estudo totalmente irreal. Acho que você deveria fazer diferente e no estudo considerar que o primeiro corrige o aporte com digamos 8% a.a. E os demais em 9 ou 10% a.a.

          Abraços

          Reply
          • 11 August 2014 at 10:19
            Permalink

            Dei uma olhada no seu artigo e conheci o seu blog, muito bom ! Por sinal já adicionei ele aqui na minha lista de Feed (RSS).

            Enfim voltando ao assunto, realmente eu cometi dois erros ali, feitos propositadamente para tentar deixar o estudo mais claro possível, mas como você foi o segundo a questionar sobre uma inflação, resolvi fazer o estudo e aplicar uma inflação de 8% aa. bem acima da média que seria de 6% mas da pra ter uma ideia melhor agora, também resolvi diminuir um pouco o percentual de aportes mensais para o 2º e 3º investidores deixando mais próximo da realidade, na verdade foi até bem modesto quanto a isso.

            Da uma olhada novamente na seção do artigo “Preço não importa”

            Agora o fato é que apesar de todas essas mudanças o chocolate de quem investe focado em aumentar os aportes continua sobre aqueles que buscam preço mais barato todos os meses.

      • 10 August 2014 at 19:18
        Permalink

        Quanto ao FUNDO DI, é apenas pra ganhar mais um pouquinho (não ficar parado). Taxa de admin é ridícula em fundos desse tipo, 0,3% a.a. Tem opções melhores ainda, só não quis complicar, por exemplo LCA do BB que paga 84% do CDI, não tem IR, não tem IOF, liquidez diária D+O. Digamos R$1000,oo por exemplo, espera uma queda, digamos que venha em 10 dias, vai ter R$1020,00 e ainda compra a ação mais barato. É isso. Se demorar mais, a grana vai subindo. Se no momento que aparece a grana vê que a ação veio de uma queda, é claro que já compra né.

        Reply
        • 10 August 2014 at 19:19
          Permalink

          Desculpa o erro, é R$ 10.000,00 e R$ 10.020,00

          Reply
        • 17 August 2014 at 14:31
          Permalink

          Tem LCA pór aí bem melhor que esta do BB.

          Reply
    • 10 August 2014 at 16:51
      Permalink

      Continuando não existe isso de “procurar melhores momentos para investir” acabei de mostrar no artigo acima, mas só pra complementar no livro do Jeremy Siegel logo nos primeiros capítulos tem um parágrafo fantástico que define muito bem essa história:

      “Um bom número de “market timers” se gabou de ter retirado todo o seu dinheiro das ações antes do crash das ações de 1987 ou do mercado bear de 2000. Mas, em 1987, muitos não voltaram para o mercado até ele ter ultrapassado o topo anterior. E muitos dos pessimistas de 2002-2003 ainda estão fora do mercado, esperando uma oportunidade para entrar…”

      se o preço não importa quando se está com um crescimentos nos aportes qual a lógica de esperar melhor momento para investir

      Reply
  • 10 August 2014 at 16:12
    Permalink

    Eu entendi certo? O cara terminou aportando 13k por mês??
    Realmente, ao longo do tempo acho que não teria como perder pra quem não aumentou em 1 centavo o aporte.

    Pode ser simples no começo se aumentar o aporte em 25% ao ano, mas acredito ser inviável ao longo do tempo. O crescimento do aporte é quase certo que foi bem superior ao crescimento do salário e em pouco tempo superaria a capacidade de poupança do indivíduo.

    Também acredito no aporte como fator mais importante, mas me pareceu inverossímil a situação apresentada.

    Reply
    • 10 August 2014 at 16:45
      Permalink

      A tabela é para ilustrar a ideia, claro que ninguém vai conseguir aumentar os aportes religiosamente por 10 anos, assim como foi citado acima que ninguém acerta o topo ou fundo todos os meses, mas o objetivo é mostrar que em cenários onde temos a rentabilidade de um lado e aportes do outro, aqueles que priorizarem o aumento nos aportes obterão melhores resultados.

      Reply

Deixe o seu comentário: