Tudo o que você precisa saber sobre dividendos nos Estados Unidos

1355-Exchange_Traded_Funds_That_Pay_DividendsSe você ainda não começou a investir nos Estados Unidos e não sabe por onde começar sugiro antes dar uma lida nos artigos que falo sobre como Abrir Conta Corretora Americana e sobre como Transferir o Dinheiro para a Corretora.

Se você já tem uma ideia sobre isso e está em busca de informações sobre como funcionam os dividendos nos Estados Unidos aqui é o lugar certo.

Formas de tributação

Primeiro vamos entender como funciona a tributação de dividendos nos EUA, existem duas formas de ser tributado nos investimentos: Ganho de Capital e de Dividendos.

A primeira ocorre quando você realiza a compra e venda de um ativo, a diferença entre o preço de compra e venda é o ganho de capital e sobre esse ganho incide imposto de GCME (Ganho de Capital em Moeda Estrangeira)

Quando abrimos a conta na corretora preenchemos o formulário W-8BEN pra quem não sabe esse formulário não isenta a tributação de dividendos  e nem de ganhos de capital.

Nesse artigo eu faço um detalhamento sobre tudo o que você precisa saber sobre ganho de capital, quando for efetuar a sua primeira operações de ações no exterior sugiro dar uma lida nele antes.

Tributos sobre os dividendos

Nos Estados Unidos é cobrado 30% de imposto sobre a renda recebida, em alguns países o EUA tem um tratado de TIEA (Tax Information Exchange Agreements) que permite o contribuinte receber como “crédito” esses impostos pagos nos EUA.

Em 2007 foi feito um acordo entre o Governo do Brasil e o Governo dos Estados Unidos para intercâmbio de informações relativas a tributos, esse acordo os EUA tributam o seu Dividendo e você ao declarar o dividendo no Brasil recebe como um crédito essa tributação já feita diretamente na fonte, isso é chamado de reciprocidade de tratamento, um investidor americano paga e deixa os impostos aqui no Brasil e um investidor Brasileiro deixa os impostos nos Estados Unidos.

Quando é pago os dividendos

Cada empresa no mercado americano tem uma política de pagamento. A periodicidade é anual ou mensal mas a maioria paga por trimestre guardando a semelhança com as terras tupiniquins. Dentro dos detalhes da ação na corretora é possível verificar a data Ex e a data que será pago o dividendo (Pay Date), isso ajuda a se programar nos aportes.

date dividendos

Como é feito o pagamento dos dividendos

O pagamento é bem parecido com o Brasil, tem apenas uma sutil diferença que é creditado o valor integral do dividendo e depois abatido o imposto sobre ele, no Brasil as empresas já lançam na nossa conta da corretora o valor liquido, veja na imagem abaixo onde foi creditado o meu primeiro dividendo da Chevron – CVX:

dividendos

Na segunda linha da imagem foi feito o crédito na conta da corretora de U$ 11,77 referente ao dividendo da Chevron e na primeira linha é feito um debito de U$ -3,53 referente aos 30% de imposto sobre os dividendos recebidos. Com o valor recebido na conta da corretora você pode transferir para sua conta no Brasil ou reinvesti-lo para aumentar o seu patrimônio (sim claro que se você for um investidor consciente irá reinvestir).

Como funciona a declaração dos dividendos no Imposto de Renda

O procedimento para declarar os dividendos no Imposto de Renda é muito simples, declara-se o valor bruto recebido no carne do leão e lança-se o imposto de 30% que foi debitado na coluna de “Imposto pago no Exterior a compensar”.

Praticamente os dividendos recebidos no USA são “isentos” de imposto, aqui no Brasil usamos uma alíquota de 27,5% e nos USA a alíquota é de 30% ou seja além de cobrir todo o imposto gerado no Brasil ainda teríamos uma margem de 2,5% de sobra nos créditos de imposto para compensações futuras, essa diferença não pode ser usada para abater nos impostos devidos pela renda gerada dentro do Brasil, vou mostrar isso melhor num exemplo a seguir.

Para fazer os lançamentos no programa da receita deve-se converter os dólares para reais e lançar no sistema em reais, a cotação utilizada na conversão deve ser o Dólar Americano fixado para compra pelo Banco Central do Brasil para o ultimo dia útil da primeira quinzena do mês anterior ao recebimento do rendimento.

A declaração no carne do leão deve ser feita na linha do mesmo mês que você recebeu o rendimento.

O procedimento de calculo é o seguinte: [valores hipotéticos apenas para exemplo]

  • Digamos que você recebeu de dividendos em 12/07/2014 o valor de U$ 10,000.00
  • Do valor recebido foi abatido nos USA o valor de U$ 3.000,00 (30% como imposto de renda)
  • Cambio para compra pelo Banco Central vigente em 16/06/2014 R$ 2,00
  • Convertendo o valor recebido de dividendo R$ 20.000,00 e R$ 6.000,00 de imposto

Dado o cenário acima você foi no programa da receita e declarou no carne do leão os seus rendimentos mensais, salário, alugueis etc tudo que você recebeu no Brasil, você ainda não lançou os rendimentos recebidos no USA somando apenas os do Brasil o sistema da receita deu o total de imposto a pagar:

  • Item A: Total devido antes da inclusão dos rendimentos dos dividendos nos USA – R$ 6.000,00

Em seguida você declarou os dividendos recebidos nos USA o valor de R$ 20.000,00 (já convertidos) e o programa da receita, digamos que ele calculou sobre a alíquota máxima de 27,5%:

  • Item B: Total devido após a inclusão dos dividendos dos USA – R$ 11.500,00

A compensação de impostos já pagos nos USA não pode ultrapassar a diferença do Item A pelo Item B nesse nosso caso é de R$ 5.500,00 nesse caso como nossa alíquota de IR no Brasil é menor que a Americana isso nunca irá ocorrer, veja que pagamos nos USA o valor de R$ 6.000,00 o que compensa o imposto que precisaríamos de pagar no Brasil. Com isso na prática os dividendos que recebemos nos USA são isentos de tributação aqui para nós.

Veja como Declarar os Dividendos no Carnê-Leão e na Declaração Anual de Imposto de Renda.

Dividendos para empresas em paraísos fiscais

Algumas empresas possuem sede em paraísos fiscal, eles fazem isso para proteger o capital dos sócios. Acontece que qualquer lucro nesses paraísos fiscais são isentos de imposto de renda e por isso quando recebemos os dividendos desses bancos eles não debitam o imposto como ocorreu no exemplo que citei acima da Chevron. Eu ainda não peguei isso mas deve ocorrer principalmente em Holdings gigantes ou grandes conglomerados.

Nesses casos em específicos você deve declarar o recebimento no carne do leão. Informe o recebimento integral dos dividendos e pague a guia que foi gerada de imposto.

Dividendos para empresas de fora dos EUA e com tratados específicos

Na bolsa de NYSE são negociadas empresas de todo o mundo algumas delas com sedes em outro países. Nesse caso existem alguns países com tratados específicos com os EUA, fique atendo ao adquirir essas empresas pois precisará saber sobre esse tratados.

Eu só tomei ciência dessa situação quando me ocorreu em julho de 2014 o pagamento do meu primeiro dividendo do HSBC, você pode conferir no post de dividendos recebidos do mês onde eu explico um pouco mais a respeito. Por essa complexidade tenho evitado de comprar empresas que não sejam americanas.

71 thoughts on “Tudo o que você precisa saber sobre dividendos nos Estados Unidos

  • 24 November 2016 at 18:12
    Permalink

    Parabéns. O material exposto, de forma não rebuscada, ajudou-me muito.. PARABÉNS ! Contudo ficou-me um espaço vazio. A receita de cupons ou ganhos de capital sobre bônus mantidos no exterior, uma vez feito o câmbio e o cálculo em reais, enseja a dedução dos R$ 35.000,00/mê ?. Caso não haja saldo após a dedução deve-se declarar no programa GCME ? Em que legislação devo me apoiar? Muitíssimo obrigado.

    Reply
    • 24 November 2016 at 19:12
      Permalink

      Ola Amilcar

      eu estou abatendo os 35k e quando vc não tiver saldo não tem que declara nada

      tem bastante coisa já discutida nos comentários dá uma lida que acredito que 95,9% das respostas estarão respondidas

      Reply
      • 24 November 2016 at 19:34
        Permalink

        Oi VD, parabéns pelo excelente trabalho de sempre. Não sei se entendi essa dúvida e a resposta: eu tenho bonds comprados nos EUA, entendo que os cupons recebidos por esses bonds deveriam ter o mesmo tratamento dos dividendos, não?
        E como eles não são previamente tributados nos EUA, ao contrário dos dividendos que são tributados a mais do que seriam no Brasil, temos de declarar no GCME e caso não tenhamos “crédito” suficiente (oriundo do imposto pago a mais nos dividendos, por exemplo) temos de pagar os 27,5% de IR sobre o valor dos cupons recebidos. Por favor, esclarece se entendi errado a questão, ou, até mesmo, se estou fazendo errado com meus cupons recebidos.
        Entendo que o limite dos R$35.000 só se aplicariam ao ganho de capital com a venda dos ativos (mas não aos cupons e dividendos recebidos).

        Reply
        • 24 November 2016 at 19:37
          Permalink

          desculpa Fabio, pensei que se trava de Ganho de Capital

          sim o comportamento é o mesmo dos dividendos, porém se o governo morde menos que os dividendos aí vc precisa de pagar a diferença sim

          e nao existe isencao de 35k pra isso, os 35k são so pra ganho de capital

          Reply
  • 9 October 2016 at 08:06
    Permalink

    Bom dia, mesmo que aproximado, quanto estimarias ter efetivamente investido nos EUA para uma renda líquida de 3 mil dólares por mês em dividendos?
    Outra questão, tens alguma experiência ou site para indicar referente a investimentos de dividendos na Europa?
    Agradeço desde já.

    Reply
    • 9 October 2016 at 18:32
      Permalink

      Ola Rodrigo

      Eu nao faço esse tipo de comparação, ficar comparando retorno de dividendos dessa forma é o que mais tira gente da bolsa de valores sugiro dar uma lida nesse artigo, nesse artigo e nesse artigo.

      Reply
  • 10 September 2016 at 13:47
    Permalink

    Boa tarde,

    Meu nome é Marcos, e possuo uma conta nos EUA. Vou pra lá duas vezes por ano a passeio, e levo dinheiro para colocar na conta, pois meu filho faz faculdade la e usa esse dinheiro para o pagamento semestral. Gostaria de saber se tenho que declarar algo ao IRS, e como fazer isso.

    Obrigado

    Reply
    • 10 September 2016 at 18:46
      Permalink

      Sobre isso não tem como te ajudar porque não pesquisei a respeito. Mas aconselho você a procurar um profissional da área pra lhe auxiliar.

      Reply
  • 7 June 2016 at 20:48
    Permalink

    Caro Viver de Dividendos,
    No caso de ADRs de empresas brasileiras, teremos a tributação de 30% dos EUA, correto?
    Parabéns pela página! Te desejo sucesso na estratégia de geração de dividendos!

    Reply
    • 7 June 2016 at 21:05
      Permalink

      Olá Lucas

      Existe algumas parcerias com países em ADR por exemplo minhas ações do HSBC e da roche não era descontado o imposto

      Eu acredito que as do Brasil também deve ser assim porém não tenho certeza na pratica disso

      Em teoria o imposto já é tributado no país de origem

      As empresas inglesas tenho certeza que não cobra imposto o resto não tenho

      Reply
      • 8 June 2016 at 00:19
        Permalink

        Grato pelo retorno! Aprofundarei o estudo da questão e se achar uma resposta coloco ela aqui para nós. Se tomarmos por prática o que acontece no Brasil em relação aos dividendos recebidos de empresa americana. Ganha-se o crédito aqui da diferença dos 27,5% para os 30%, como tu havias falado. Então, de repente, os EUA devem cobrar 2,5%… é uma hipótese que verificarei e depois retorno se obter êxito no estudo.

        Reply
  • 14 April 2016 at 04:15
    Permalink

    Tira uma dúvida… Vamos supor que você receba 100 dólares em dividendos de ações dos EUA é use esse dinheiro pra comprar ações na bolsa americana… Como lançar isso na declaração de ir aqui no Brasil? E como lançar se você usou dinheiro de uma remessa e de dividendos para comprar uma ação? (Ex: 50 dólares de dividendos e 50 dólares de uma remessa do Brasil para o exterior para comprar uma ação de 100 dólares)?

    Reply
    • 14 April 2016 at 15:18
      Permalink

      Olá MI

      Se comprou com dividendos vc usa o dólar do dia pra conversão.

      Muitos têm utilizado o dólar do dia porque fazer o controle pela remessas é muito complicado. Mas aí vai de cada um. Aqui eu coloquei a orientação da receita.

      Reply
  • 17 January 2016 at 01:22
    Permalink

    Olá, gostaria de tirar uma dúvida, no final do ano não encaminhamos o formulário W-8BEN atualizado e com isso foi retido um valor de IR de um executivo com quem trabalho, gostaria de saber como devemos preceder para solicitar a restituição deste valor para um não residente fiscal, vocês saberiam quais formulários devemos preencher e para onde devemos encaminhar?
    Grata pela atenção,
    Rosana

    Reply
    • 17 January 2016 at 04:23
      Permalink

      Olá Rosana

      Infelizmente não posso lhe ajudar. No caso seria melhor procurar uma profissional da área.

      Reply
      • 21 January 2016 at 03:30
        Permalink

        Obrigada pelo retorno.

        Reply
  • 29 December 2015 at 16:17
    Permalink

    Você sabe se o imposto sobre os dividendos das ADRs também é de 30%? No meu extrato aparecem várias linhas com a denominação “Foreign Tax Paid” e a percentagem parece ser de 15%. Há também linhas com a denominação “ADR Mgmt Fee” que eu não sei como declarar.

    Reply
    • 30 December 2015 at 12:42
      Permalink

      Depende da ADR eu tinha ações do HSBC que é um banco inglês e não cobrava pq tinha um tratado entre usa e os ingleses de isenção de ambos os lados. Mas depende do país que está sendo apurado

      Reply
  • 24 December 2015 at 15:16
    Permalink

    Me diz uma coisa é impressao minha ou o dividendo pago de empresas brasileiras aos americanos é maior que investido aqui diretamente?

    Reply
    • 24 December 2015 at 21:29
      Permalink

      o imposto lá é debitado na conta da corretora
      entra o bruto e depois abate o imposto

      deve ser isso provavelmente

      Reply
  • 19 October 2015 at 19:24
    Permalink

    preciso saber se ao receber dividendos nos EUA, dividendos esses que não repatrio para o Brasil, ainda assim preciso fazer o carnê leão?

    Reply
    • 20 October 2015 at 07:25
      Permalink

      Olá Ricardo

      Independente do que fizer precisa declarar.

      Reply
      • 20 October 2015 at 14:30
        Permalink

        A declaração de rendimentos inferiores a R$20.000,00 por mês não é facultativa?

        Reply
        • 20 October 2015 at 19:00
          Permalink

          se estiver operando nos USA vc não precisa declarar no momento da venda, mas na declaração anual tem que constar os dividendos recebidos independente de ter repatriado ou não

          Reply
  • 4 August 2015 at 00:08
    Permalink

    Boa tarde, quando vc compra uma empresa de outro país como o HSBC que é Inglês vc vende dolar e compra Libra Esterlina é isso?

    Reply
    • 4 August 2015 at 06:53
      Permalink

      Olá Lorran

      Não, as empresas que compro são todas cotadas na bolsa de Nova York então são todas comercializadas em dólar independente de onde sejam. Você paga em dólar tanto na hora da venda quanto na hora da compra e recebe os dividendos também em dólar.

      Reply
  • 19 June 2015 at 06:02
    Permalink

    Olá, não sei se seria uma dúvida ou uma solicitação de opinião! É o seguinte, tenho família nos EUA e estou para ir embora para lá, pois estou negociando uma oportunidade de emprego na minha área. A questão é a seguinte: pretendo manter uma conta corrente aqui no Brasil e continuar investindo em ações por aqui mesmo. Porém, terei a possibilidade de abertura de contas e realização de operações por lá tbm. Seria mais vantagem abrir uma conta nos EUA por aqui, pelo meu banco (HSBC) negociando via internet por aqui, mesmo estando lá? Desculpe a confusão… rs… pois pretendo retornar ao Brasil num futuro não muito próximo, para aposentadoria! Não sei se no futuro os custos para remeter valores para o Brasil seriam muito altos, no caso de abertura direta de contas por lá.

    Agradeço desde já!

    E parabéns novamente pelo blog!

    Abraços

    Reply
    • 19 June 2015 at 13:17
      Permalink

      Acho que a melhor opção nesse caso é vc abrir uma conta aqui no HSBC e lá também assim consegue transitar entre as contas sem pagar taxa de transferencia. O HSBC tem uma corretora eu inclusiva opero por lá, pra buy and hold da pra levar tranquilo mas se for fazer trade aí já não vale a pena porque fica muito caro.

      Reply
  • 28 April 2015 at 23:20
    Permalink

    Oi, parabéns pelo site, excepcional, tenho algumas dúvidas, não sei se você poderia me ajudar.
    Aí vai a primeira:

    Sendo não-residente e tendo preenchido o formulário W8-BEN, precisaremos fazer imposto de renda nos EUA (o IRS)?
    (eu sei que no Brasil precisamos, estou me referindo à necessidade de fazermos declaração de IR nos EUA)

    [ ]s Fabio

    Reply
    • 29 April 2015 at 02:56
      Permalink

      Olá Fabio

      Obrigado pelo apoio, dá uma lida nesse artigo tem explicando na parte da conclusão sobre isso.

      Reply
  • 6 April 2015 at 21:11
    Permalink

    Olá! Pretendo abrir uma conta conjunta com meu irmão em uma corretora americana. Como fica a declaração do carnê-leão sobre os dividendos nesse caso? Nós dois declaramos de forma integral, nós dois declaramos 50% dos dividendos cada ou apenas um declara o dividendo recebido?

    Reply
  • 31 January 2015 at 20:42
    Permalink

    Olá,
    Dá uma olhada na pergunta 128:
    http://www.receita.fazenda.gov.br/PessoaFisica/IRPF/2013/perguntao/assuntos/exterior.htm

    O problema parece ser a necessidade da tal tradução juramentada mencionada na pergunta 126.
    E se não for EUA-Alemanha-UK, tem tb a tradução do tratado: ver pergunta 122.
    Dá-lhe burocracia!

    Quanto a comprar as ações europeias nos EUA e em USD, além da ineficiência fiscal para brasileiros, vc vai estar sim com exposição na moeda europeia onde a ação tem a sua listagem principal (na matriz). O fato de vc negociar as ações em USD não quer dizer muita coisa.

    Se vc quer realmente a exposição somente no “negócio” da empresa, e não na moeda da matriz, o ideal seria comprar na bolsa lá na Inglaterra ou Alemanha na moeda local, e ficar com uma posição vendida nessa moeda. As maiores corretoras possuem subsidiárias ou acordos com corretores locais. Na corretora que opero, quando eu compro algo diferente do USD, ela já automaticamente me cria uma posição vendida. Ou seja, o “normal” é investir com hedge de moeda. De fato, as maiores gestoras do mundo tomam decisões quanto a exposição de moeda de maneira relativamente independente das outras decisões.

    Reply
    • 1 February 2015 at 02:59
      Permalink

      Por isso eu evito ficar entupindo a carteira com ações que não são Made in America.

      Reply
  • 25 January 2015 at 02:13
    Permalink

    “Por essa complexidade tenho evitado de comprar empresas que não sejam americanas.”

    Por que vc não compra as ações do HSBC na bolsa do Londres?
    Lá não tem withholding para brasileiros, né?
    Comprando ações nas bolsas de Londres, Frankfurt, HK, etc, além da diversificação geográfica, tem a vantagem fiscal dos dividendos.
    Mas tem que verificar se a sua corretora opera fora dos EUA.

    Reply
    • 25 January 2015 at 09:48
      Permalink

      Eu não sei se existe acordo de reciprocidade de impostos do Brasil com Inglaterra ou Alemanha. Você tem alguma informação sobre isso ?

      E eu não quero nada indexado em outra moeda que não seja dolar. Por melhor que o Euro seja hoje ele tem demostrado algumas fragilidades principalmente porque depende da continuidade da união européia e vc tem acompanhado como o bloco tem se enfraquecido, prova maior disso é a própria grecia. Na verdade o Euro foi invenção dos franceses pra tentar desbancar o Marco alemao, enfim é um assunto complexo pra se tratar em comentários mas resumindo foi um tiro que saiu pela culatra.

      Agora dólar pra mim é a verdadeira moeda universal, você pode ir de uma favela na América do Sul a uma tribo na África a única moeda que ambas aceitam é o dólar.

      Por fim vale ressaltar que pela just2trade vc pode comprar diversas empresas de Londres e de outros países da Euro como nestle, unilever enfim praticamente os principais players internacionais.

      Reply
  • 14 January 2015 at 02:23
    Permalink

    Prezado, fundei uma empresa nos EUA durante meu doutorado. Já conseguimos série B de investimento, com previsão de venda ou IPO em 2016.

    Já estou no Brasil a alguns anos, e minha dúvida é se você conhece alguma estratégia para minimizar e evitar bitributação nos EUA e aqui no Brasil sobre o ganho de capital.

    Pelo volume, provavelmente terei que procurar uma assessoria mais próximo, entretanto, caso tenha alguma informação para já começar a dar uma estudada no assunto, agradeceria.

    Atte,

    Leonardo

    Reply
    • 14 January 2015 at 06:25
      Permalink

      Olá Leonardo Teixeira

      Sempre bom saber de brasileiros “conquistando terreno” lá fora.

      Agora quanto a tributação, todas as dicas e explicações do blog são para investidores pessoa física.

      Seu caso como é investimento ligado a PJ aconselho a fazer uma pesquisa rápida no google e entrar em contato com especialistas em contabilidade e direito que auxiliam brasileiros no mercado americano.

      Se quiser algumas indicações eu tenho algumas empresas aqui na minha lista de contato, pra não confundir com o tema central do blog entre em contato comigo por e-mail que lhe envio mais informações.

      Reply
  • 9 January 2015 at 00:37
    Permalink

    Saudações.

    É sempre bom lembrar que cada estado dos EUA tem sua própria legislação.

    Esses estados, por exemplo, NÃO taxam dividendos:

    Alaska, Florida, Nevada, South Dakota, Texas, Washington e Wyoming.

    Reply
    • 9 January 2015 at 02:06
      Permalink

      Olá Frederico Frois

      Sim mas acho que essas isenções seriam para residentes não residentes pegam o imposto federal, pelo menos até agora todas as empresas que recebi e estão no território americano tiveram tributação, sem exceção.

      Lembrando que essas regras de estados não valem para a receita federal do brasil.

      Reply
  • 4 December 2014 at 00:36
    Permalink

    A minha dúvida é a mesma já levantada por alguns aqui.
    Não uso carnê leão. É só declarar os dividendos no ajuste anual, ou vou ter que passar a preencher o carnê-leão todo mês que receber dividendos nos EUA?

    Reply
    • 4 December 2014 at 10:46
      Permalink

      Se você investe em empresas americanas pode fazer só no ajuste anual. Já está Scheduled no blog para publicar amanha o artigo do carne leão sanando mais algumas duvida do pessoal.

      Reply
      • 5 December 2014 at 03:09
        Permalink

        Boa! Vou aguardar então.
        Mas procurei bastante no site da RF e tb na minha declaração do ano passado, e não cheguei a uma conclusão de como fazer e onde declarar os dividendos recebidos (no declaração mesmo).

        Reply
        • 5 December 2014 at 06:09
          Permalink

          O artigo que vai sair vai ensinar a lançar no carnê-leão o outro do anual vou fazer só pra janeiro ou fevereiro, até porque a declaração é só pra março mesmo “)

          Reply
  • 21 November 2014 at 10:58
    Permalink

    Nossa cara, 30% eh um absurdo, ainda mais considerando os DY dos ultimos anos.
    Quem mora nos EUA, como eu, paga IR na mesma faixa da renda. E alguns dividendos ainda sao isentos de IR.

    Reply
    • 23 November 2014 at 01:26
      Permalink

      Pelo que entendo esse percentual é tanto para estrangeiros quanto para residentes.

      Reply
  • 15 November 2014 at 05:01
    Permalink

    Bem, já que voltamos ao assunto, deixe eu apresentar outras fontes:

    Divulga aprovação de TIEA Brasil EUA, mas não tem nada a ver com ADT (ver última linha)
    http://www.receita.fazenda.gov.br/AutomaticoSRFSinot/2013/03/18/2013_03_18_14_17_36_828495293.html

    Receita Federal (não tem EUA)
    http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/acordosinternacionais/acordosduplatrib.htm

    Receita americana (não tem Brasil)
    http://www.irs.gov/Businesses/International-Businesses/United-States-Income-Tax-Treaties—A-to-Z

    Tesouro americano
    http://www.treasury.gov/resource-center/tax-policy/treaties/Pages/default.aspx

    não mostra TIEA mas tem FATCA (http://www.treasury.gov/resource-center/tax-policy/treaties/Documents/FATCA-Agreement-Brazil-9-23-2014.pdf)

    Trecho de um relatório Empiricus sobre investimento lá fora
    “(…) Se você receber dividendos todos os meses, em todos eles deverá fazer um DARF.”

    Reply
    • 15 November 2014 at 11:05
      Permalink

      Olá Felipe,

      Você está confundindo bi tributação com reciprocidade de tratamento são coisas bem diferentes.

      Pesquisa na receita sobre a reciprocidade de tratamento entre Brasil e EUA. Tem bastante coisa sobre isso na receita e em sites do gênero.

      Esses links q vc pesquisou são coisas totalmente diferentes, você achou coisa sobre bi-tributação, isenção de imposto, pagamento de imposto de contribuinte americano, enfim nada a ver com o que tenho dito aqui, vc pegou o caminho errado mas teve uma boa intenção e acredito que não foi em vão, aposto q vc deve ter aprendido um caminhão de coisas nesse processo, no fim é isso que importa.

      Eu em momento algum disse q vc não teria que pagar DARF da uma olhada no artigo que eu falo que vc precisa declarar tudo no IR eu até fiz um exemplo sobre isso. Acontece que por coincidência a alíquota de IR americano é maior que o Brasileiro então o que você paga lá acaba isentando aqui, veja que no próprio artigo o isento está entre aspas.

      Sobre Empiricus eu recomendo dar uma olhada no post do D`UÓ http://blogdouo.blogspot.com.br/2014/08/o-fim-do-brasil-marketing-ou-realidade.html esquece esses caras da Empiricus você só tem a perder ouvindo eles, na verdade eu acho que eles deveriam ser proibidos de operar no mercado brasileiro, eles são danosos para o pequeno investidor.

      Reply
      • 15 November 2014 at 21:02
        Permalink

        Oi VD, de fato minhas pesquisas foram no google e apontaram diversas coisas. Eu não sabia que bitributação e reciprocidade eram coisas distintas. No Perguntão tem tudo explicado e agora posso dizer que sei muito bem como declarar dividendos e ganho de capital do exterior em nossas declarações aqui no Brasil.

        Minha dúvida atual é como declarar ganho de capital lá pra IRS, se necessário. Já vi que pros americanos é bem enrolado. Depende do tipo de conta, de quanto tempo ficou com a ação, se foi long ou short, se recomprou em menos de 30 dias, pra ter direito a dividendos tem de comprar 60 dias antes da data ex etc etc etc. Ganho de capital pra estrangeiro operando lá, não achei o caminho certo. Se puder, indique-me!

        Mas uma vez pagando lá, depois preencher tudo aqui no Brasil e compensar é moleza.
        Eu nunca paguei carnê-leão. Não tive fontes de renda que justificassem isto. Mas, pelo que sei, tem de ser pago a cada mês e deixar pra acertar só na declaração anual incidem taxas!

        Sobre a compensação, é como vc falou, nunca pagaremos mais imposto sobre os dividendos. Quando receber MUITOS dividendos, a diferença de alíquota será pequena como os 2.5%, mas no seu caso atual, que é abaixo de R$1800, vc é isento no carnê-leão, o que gera muito “a compensar”!! A meu ver, a solução futura pra isto são justamente as empresas em paraíso fiscal (e não-americanas de modo geral), visto que quando vc não for descontado lá fora, pagará o imposto aqui no Brasil a partir das compensações acumuladas!

        Reply
        • 16 November 2014 at 04:56
          Permalink

          Felipe,

          Eu estou com um artigo no Schedule para publica no dia 5.12.2014 (sim eu tenho artigo agendado até janeiro, então se eu morrer vcs sabem que até janeiro tem novidade por aqui rsrsrs) que explica em detalhes esses lançamentos do carne leão, certamente algumas dúvidas serão sanadas com ele e eventualmente outras surgirão e agente vai aprendendo junto.

          Essas compensações acumuladas podem ser usados para abater nos impostos de empresas em paraísos fiscais, um exemplo parecido com isso é o do HSBC que não debita IR nos EUA mas temos que declarar aqui no Brasil, nesse caso se o cara não tiver uma posição muito grande em relação ao total da carteira ele consegue abater essas compensações.

          Sobre o IR a nível americano eu ainda não me aprofundei muito sobre isso, até porque temos até abril para ver sobre isso, mas parece que o W8BEN é justamente para evitarmos de ter que fazer essa declaração lá, pelo que entendi é para fazermos apenas aqui no Brasil, mas ainda não peguei muito firme pra estudar essa declaração do lado americano, se tiver algum material nesse sentido e quiser compartilhar seria de ajuda :)

          Reply
          • 11 March 2015 at 21:24
            Permalink

            Olá! Parabéns pelo site!

            E aí? Abril já está chegando. Tem novidades a respeito da declaração para a IRS?

            Agora sobre os dividendos recebidos, você não precisou declarar nada lá até agora? O fato deles ficarem retidos na fonte já deixa tudo OK perante a IRS? Outra dúvida é se você reinvestiu os dividendos na íntegra ou já “sacou” alguma coisa? Desculpa a pergunta do ignorante mas: é possível sacar da conta da corretora lá? Com tudo devidamente tributado, você pode usar esse dinheiro para compras lá nos Estados Unidos?

            Por fim, os dividendos obtidos por Real Estate Investments Trust’s seguem o mesmo esquema (tributação de dividendos na fonte)? Com maior previsibilidade de dividendos, dá para fazer um aporte grande em um REIT, cuidar de informar anualmente a nossa Receita Federal mas utilizar o recurso dos dividendos lá fora com compras?

            Sucesso!

          • 11 March 2015 at 23:53
            Permalink

            Olá Marcelo

            Fiz um post recentemente sobre o IR quanto ao americano o W8 desobriga não residentes a declarar.

            Reinvesti os dividendos mas nunca retirei dinheiro do exterior. Acredito que não seja possível sacar mas pergunte para o pessoal da corretora q vc tem conta, se a sua intenção é usar o dinheiro lá melhor abrir conta num banco americano e transferir daqui pra lá.

  • 31 October 2014 at 20:48
    Permalink

    Amigo, onde vc achou esta informação de que há um tratado Brasil EUA?

    Acabo de abrir uma conta em corretora americana e tive de preencher (eletronicamente) o W8BEN. Não havia opção de Brasil na caixa.

    Também não achei nada sobre Brasil no site do IRS.

    Acho que todo não residente tem de preencher, mas não necessariamente existe tratado entre EUA e seu país…

    Reply
    • 1 November 2014 at 01:22
      Permalink

      Olá Felipe

      Acho que você está confundindo o W8BEN com os dividendos, o que é bem normal e a maioria das pessoas confundem.

      O formulário W8 é para ganho de capital, esse sim existe para qualquer estrangeiro, já os acordos tipo TIEA que são voltados para dividendos são apenas com alguns países. Por exemplo se você for um cidadão Iraniano não vai conseguir utilizar o valor que pagou de imposto no EUA como forma de credito no Irã, isso porque os dois países não possuem tratados.

      Nesse site tem os países que o Brasil possui tratados de Tax Information Exchange Agreements: http://www.eoi-tax.org/jurisdictions/BR#default

      Reply
      • 14 November 2014 at 18:35
        Permalink

        Prezados,

        Até onde entendi, o tratado TIEA celebrado entre Brasil e EUA, visa apenas a troca de informações fiscais entre as autoridades dos dois países e não equivale a um tratado preventivo de bi-tributação. Na verdade, ainda há tratado contra bi-tributação entre Brasil e EUA, o que nos sujeitaria ao pagamento do IR sobre os dividendos recebidos do exterior. Ou haveria outra brecha para não paga-los?

        Cordialmente,

        Gustavo.

        Reply
        • 14 November 2014 at 18:44
          Permalink

          Desculpem, quiz escrever “ainda não há tratado contra bi-tributação entre Brasil e EUA.”

          Reply
        • 15 November 2014 at 00:58
          Permalink

          Olá Gustavo,

          Existe sim um tratado entre os países!

          E você está confundindo tudo… rsrsrsrs

          Não existe isso de brecha, e mesmo se tivesse eu não faria, eu gosto de fazer sempre o correto até porque essa história de brecha a Receita uma hora ou outra ela sempre acaba descobrindo afinal a única coisa que esse governo sabe fazer bem é cobrar imposto alias isso ele sabe fazer muito bem.

          Veja o que diz no próprio site da Receita no Brasil:

          O tratamento fiscal é aquele pactuado entre o Brasil e o país contratante, com o fim de evitar a dupla tributação internacional da renda, ou o definido na legislação que permita a reciprocidade de tratamento fiscal sobre os ganhos e os impostos em ambos os países.

          O imposto relativo aos rendimentos informados em Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoas Físicas e do Exterior na Declaração de Ajuste Anual pago nos países relacionados a seguir pode ser compensado, desde que não sujeito à restituição ou compensação no país de origem, observados os acordos internacionais entre o Brasil e cada país.

          A prova de reciprocidade de tratamento é feita com cópia da lei publicada em órgão da imprensa oficial do país de origem do rendimento, traduzida por tradutor juramentado e autenticada pela representação diplomática do Brasil naquele país, ou mediante declaração desse órgão atestando a reciprocidade de tratamento tributário.

          Não é necessária a prova de reciprocidade para a Alemanha, o Reino Unido e os Estados Unidos da América

          A TIEA é para evitar essa burocracia do penúltimo parágrafo. Tudo o que eu coloco aqui no site eu tiro da Receita, lógico de forma bem compacta, até porque essas SRF são gigantes pra ler, mas eu aconselharia vc a dar uma lida no site da Receita nessa parte está tudo escrito lá…

          Veja mais abaixo tem um FAQ que é mais claro ainda:

          É compensável no Brasil o imposto pago sobre rendimentos recebidos na Alemanha, nos Estados Unidos da América e no Reino Unido?

          Sim. A reciprocidade de tratamento permite a compensação no Brasil do imposto pago, observado o limite de compensação.

          é isso aí espero que tenha entendido melhor agora… Matou sua dúvida ???

          Reply
  • 4 September 2014 at 02:32
    Permalink

    Poderia depois fazer um post sobre o imposto no caso de ganho de capital.
    Excelente o blog!

    Reply
    • 4 September 2014 at 08:31
      Permalink

      Olá Joao,

      Estou com algumas pendências em pauta, principalmente nessa parte de IR, por exemplo irei fazer um post de:

      • Declaração dos dividendos no carne do leão
      • Declaração dos dividendos no IR anual
      • Declaração dos ganhos de capital no IR

      Estou tentando dar uma guinada nos quadros de algumas empresas que estão atrasados, acredito que devo fazer esses posts sobre IR antes de Dezembro

      pelo menos essa é minha meta

      um por vez

      vamos ver se consigo rsrsrs…

      Reply
  • 5 August 2014 at 19:09
    Permalink

    Uma dúvida: é possivel deixar para informar tudo isto apenas na declaração de ajuste anual, evitando esse procedimento toda vez que receber dividendos ?

    Reply
    • 7 August 2014 at 19:59
      Permalink

      Se você não tiver imposto a pagar de outras atividades não vejo problema em deixar para a declaração anual, até porque o carne acaba tendo a obrigação de exportar as informações dali para o anual.

      Reply
  • 14 July 2014 at 19:54
    Permalink

    Viver de dividendos,

    No Brasil, não há incidência de imposto de renda sobre os dividendos. Como chegastes à conclusão de que haverá IR em dividendos pago no exterior?

    Reply
    • 15 July 2014 at 06:02
      Permalink

      Fiquei com a mesma dúvida. Tinha a impressão de que não deveria estar sendo pago IRPF nenhum sobre dividendos.recebidos no exterior, tendo em vista que o Brasil não cobra IR sobre dividendos.

      Reply
    • 16 July 2014 at 21:40
      Permalink

      No caso, os dividendos americanos entram como “Renda auferida no exterior” para a Receita Brasileira. A declaração é feita como uma manobra contábil para abater 2,5% (30% imposto americano sobre DIVIDENDO – 27,5% imposto brasileiro para RENDA) dos impostos brasileiros. E já que o Brasil tem esse tratado com os EUA, tiramos essa “vantagem” em declarar os dividendos. Caso o imposto nos EUA fosse MENOR era melhor não declarar nada para o leão no Brasil e ficar quieto mesmo, se não a diferença seria negativa e teríamos mais impostos a pagar.

      Reply
      • 16 July 2014 at 21:50
        Permalink

        No caso os 27,5% vao no carnê leão como “imposto pago no exterior” certo. E onde é que se declara os 2,5% restantes na declaração para que sejam abatidos também?

        Reply
        • 16 July 2014 at 22:44
          Permalink

          Segundo o artigo da RF postado no fim da página: “Se o pagamento do imposto no exterior for posterior ao recebimento do rendimento, mas ocorrer no mesmo ano-calendário, a pessoa física pode compensá-lo no carnê-leão do mês do efetivo pagamento do imposto no exterior e na Declaração de Ajuste Anual relativa a esse ano-calendário.
          Se o valor a compensar do imposto pago no exterior for maior do que o valor mensal a recolher (carnê-leão), a diferença pode ser compensada nos meses seguintes até dezembro do ano-calendário e na declaração, observado o limite de compensação.”

          No caso, se não houver impostos a compensar no carnê-leão ou “sobrar” vai tudo para a Declaração de Ajuste Anual. Nunca investi no exterior, mas IMAGINO, que esse restante possa ser abatido e até mesmo entrar na restituição no ano seguinte. Aí cabe consultar um contador…

          Reply
        • 17 July 2014 at 21:30
          Permalink

          Note que esses 2,5% não podem ser usado para abater nos seus impostos auferidos da renda no território nacional, ele só pode ser usado para abater nos impostos gerados de renda no exterior.

          No caso se você investe apenas nos USA eles não serão abatidos porque os impostos que você pagou lá sempre serão maiores que os cobrados pelo Brasil.

          Reply
      • 17 July 2014 at 21:22
        Permalink

        @MotoInvestidor

        Não adiantaria muito tentar esconder isso, nesses tratados os países são obrigados a trocar as informações iria cair para a receita do Brasil que você recebeu X de dividendos nos USA. Além de ter que pagar com juros, cairia na malha fina e acredito que teria multa sobre isso.

        Na verdade seria melhor para nós se o imposto nos USA fosse menor que o do Brasil, por exemplo 20% aí você declararia no Brasil e pagaria os outros 7,5% você iria ficar mais feliz e não precisaria de pagar direto na fonte a mais como é hoje.

        Reply
    • 17 July 2014 at 21:13
      Permalink

      Aqui no Brasil também é cobrado imposto de renda sobre os dividendos, só que você não vê porque eles são pagos pela empresa e não por você. Por isso o valor creditado na nossa conta da corretora já é o liquido.

      Reply

Deixe o seu comentário: